Mercedes acabará com a maioria dos carros a combustão até 2030

Mas a marca alemã reconhece que ainda é cedo para estabelecer uma data para vender apenas veículos elétricos

Por REDAÇÃO AB
  • 09/07/2021 - 15:03
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    A Mercedes-Benz está planejando acabar com a maior parte dos seus carros com motor de combustão e transformá-los em veículos elétricos até o final de desta década, de acordo com reportagem do jornal alemão Automobilwoche publicada nesta sexta-feira, 9.

    Na prática, isso significa que cada novo modelo que for lançado até lá terá uma versão 100% elétrica equivalente, ao mesmo tempo em que será feita a transição da estrutura de produção e vendas da Mercedes para um modelo de negócio sem motores a gasolina ou diesel. "Estamos mudando de elétricos primeiro para elétricos apenas", disse um alto executivo da Daimler, proprietária da marca, à publicação alemã.

    Publicidade



    A empresa, porém, reconhece que não é possível estabelecer hoje uma data exata para o fim dos veículos a combustão dentro da montadora porque acredita que ainda haverá demanda para eles em alguns mercados depois de 2030. No entanto, já se sabe que no próximo dia 22 de julho o CEO da Daimler, Ola Kallenius, vai apresentar publicamente os planos para o futuro da marca, que vai incluir o lançamento de novas plataformas para os futuros automóveis e também seu próprio sistema operacional de software em 2024.

    A transição das montadoras para o modelo de negócio baseado nos carros elétricos não para de crescer na Europa. No mês passado, três grandes marcas confirmaram o abandono do motor a combustão. Um executivo da Volkswagen anunciou o ano de 2035 como a data em que venderá apenas automóveis elétricos na Europa.

    Já a Audi confirmou que lançará seu último carro a combustão em 2026 e, alguns dias antes, foi a vez de a Fiat seguir o exemplo: o CEO mundial da empresa, Olivier François, declarou que a empresa italiana vai deixar de produzir carros com motor a combustão em 2030.

    O mesmo já fizeram a Jaguar e a Bentley, que esperam não vender mais veículos a combustão em 2030, enquanto a Ford disse que só vai oferecer modelos elétricos na Europa a partir dessa data.

    A BMW, no entanto, é uma das marcas europeias mais cautelosas sobre esse assunto, pois disse que espera que em 2030 metade de suas vendas seja de modelos movidos a eletricidade.