Mercedes põe investimentos em dúvida

Fabricante adverte que não tem como manter aportes sem reduzir custos

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 19/08/2016 - 16:25
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    Ao fim de uma semana de manifestações de trabalhadores contra a iminência de demissões em São Bernardo do Campo, a Mercedes-Benz enviou comunicado informando que irá comprometer investimentos planejados caso não consiga reduzir seus custos no ABC Paulista.

    A montadora concedeu licença remunerada a quase toda a fábrica na segunda-feira, 15, e começou a enviar comunicados aos trabalhadores que serão demitidos. Cerca de 1,4 mil funcionários já cumpriam licença e em princípio serão os primeiros desligados.

    São trabalhadores inscritos no Programa de Proteção ao Emprego (PPE), cujo período de estabilidade termina em 31 de agosto. As vendas de caminhões Mercedes de janeiro a julho somaram 8,8 mil unidades, 23,3% a menos que no mesmo período de 2015, um ano já bastante ruim. Os chassis para ônibus somaram apenas 4,1 mil unidades até julho de 2016, resultando em queda de 27,7%.

    No comunicado, a Mercedes recorda que esgotou todas as possibilidades para manter o nível de emprego (por PPE, layoff e férias coletivas). Na quinta-feira, 18, em evento organizado pela Câmara Brasil-Alemanha no Rio Grande do Sul, o presidente da Mercedes-Benz no Brasil, Philipp Schiemer, afirmou que ainda não dá para prever quando ocorrerá a recuperação do setor automotivo no País.

    Na sexta-feira, 19, o ministro interino do Trabalho e Emprego, Ronaldo Nogueira, foi ao Sindicado dos Metalúrgicos do ABC para falar sobre a situação dos trabalhadores na montadora e a crise do setor automotivo.

    Segundo a entidade, o ministro se comprometeu a contatar a direção da Mercedes para ajudar nas negociações pela manutenção dos empregos. Nogueira também admite rever as regras do PPE, com maior participação do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

    Na segunda-feira, 22, o sindicato realiza às 10 horas em frente à própria sede uma nova assembleia com os trabalhadores da Mercedes. A entidade quer atualizá-los sobre as negociações que ocorreram durante a semana.