Meritor dobra produção de eixos e entra na era da eletrificação

Empresa completa 65 anos no Brasil com ritmo acelerado e novos produtos

Por PEDRO KUTNEY, AB
  • 19/07/2021 - 19:28
  • | Atualizado há 1 month
  • 5 minutos de leitura

    Em recuperação robusta após o impacto da pandemia de coronavírus em 2020, a Meritor começou o ano em que comemora 65 anos de operações no Brasil em ritmo acelerado na fábrica de Osasco, na região metropolitana de São Paulo. A maior fabricante de eixos trativos para veículos comerciais pesados acima de 6 toneladas de PBT projeta dobrar produção para 120 mil unidades até o fim de 2021, em alta de 90,5% sobre os 63 mil do ano passado. Ao mesmo tempo, a empresa investe da nacionalização de mais produtos que serão oferecidos neste segundo semestre e 2022, incluindo sua entrada na era da eletrificação em nível global e também no Brasil.

    Publicidade



    “Mesmo com a pandemia, estamos conseguindo atender 100% dos pedidos em 2020 e deveremos fornecer mais de 120 mil eixos este ano. Estamos otimistas quanto ao futuro da indústria automotiva no Brasil, teremos anos promissores pela frente”, diz Adalberto Momi, vice-presidente da Meritor América do Sul.



    Também afetada pela escassez e encarecimento de diversos insumos, a Meritor até o momento conseguiu manter a produção em alta para atender os clientes. “Há um trabalho em andamento para evitar o desabastecimento; estamos antecipando os movimentos para gerarmos alternativas que são divididas com os nossos parceiros, com a ampliação dos canais e adesão de múltiplas fontes em toda a nossa cadeia”, afirma o diretor de compras Rafael Souza.

    A Meritor domina cerca de metade do mercado nacional de eixos trativos para caminhões e ônibus acima de 6 toneladas de peso bruto total (PBT), porcentual que sobe para 60% se computados só modelos pesados acima de 15 toneladas. Em seus 65 anos no País a empresa já desenvolveu e produziu pouco mais de 3,5 milhões de eixos de tração para veículos de 6 a 125 toneladas de Peso Bruto Total Combinado (PBTC), atualmente fornecidos diretamente a Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO), Iveco, Mercedes-Benz, DAF, Volvo e Agrale.

    “Apesar de estarmos otimistas com a alta demanda e a fila de espera por caminhões, após um ano de retração por conta da pandemia, teremos de ser cautelosos com a cadeia de suprimentos, tanto local quanto internacional, já que competimos com outras regiões do mundo e precisamos compartilhar os volumes e preços das commodities que estão em alta”, pondera Kleber Assanti, diretor de vendas e marketing da Meritor América do Sul.

    Segundo Assanti, continua nos planos o investimento na nova fábrica de eixos em Roseira (SP), cuja intenção de compra do terreno de 160 mil metros quadrados foi assinada há um ano . “Precisamos reavaliar o cronograma [de operação da nova planta] por causa das condições de mercado, com queda muito forte por causa da pandemia, mas agora temos novo aquecimento e vamos estudar o melhor momento”, explica.

    NA ERA DA ELETRIFICAÇÃO




    O MS-120 ECO, desenvolvido para trabalhar com o motor elétrico do e-Delivery

    Especialista em um elemento totalmente mecânico que transmite e divide tração para as rodas de veículos comerciais pesados, a Meritor também está entrando na era da eletrificação do powertrain em duas frentes distintas.

    Uma dessas iniciativas foi desenvolvida pela engenharia da empresa aqui no Brasil, na esfera do e-Consórcio da VWCO do qual a Meritor faz parte, com o início este ano do fornecimento seriado do eixo ECO (sigla para Electric Compatible), concebido para funcionar acoplado diretamente ao motor elétrico do caminhão VW e-Delivery lançado comercialmente na semana passada.


    O Blue Horizon 14xe: primeiro eixo elétrico da Meritor entrou em produção comercial nos EUA em julho

    A outra frente de eletromobilidade, mais alinhada com as tendências tecnológicas globais, é a eletrificação do próprio eixo trativo, com a incorporação de um motor elétrico na caixa do diferencial, com ligação direta da tração para as rodas. Este mês a Meritor começou a produzir nos Estados Unidos o seu primeiro eixo elétrico Blue Horizon, o 14xe com três opções de potência contínua (150, 180 e 200 kW), projetado para equipar caminhões médios e pesados entre 9t e 26t de PBT nas configurações 4x2 e 6x2, ou 26t 6x4 de 40t de PBTC. O 14xe já foi apresentado ao público brasileiro na Fenatran de 2019 e, segundo Momi, “está em fase de prospecção no Brasil”.

    A Meritor planeja lançar mais dois eixos elétricos Blue Horizon e em 2022 começa a fazer testes com os 12Xe e 17Xe, o mais leve com até 200 kW de potência contínua, indicado para caminhões entre 6t e 19t de PBT nas configurações 6x2 ou 4x2. Já o 17Xe irá equipar veículos de carga pesados, de 26t a 44t de PBTC, fornecendo até 430 kW contínuos para trações 6x2 ou 4x2.

    “Existem conversas com nossos clientes e vemos que este mercado está começando a aparecer no Brasil. Estamos prontos a oferecer a solução que o cliente pedir, seja o eixo ECO eletrocompatível ou o 14xe que podremos adaptar aqui para as condições brasileiras”, afirma Assanti.

    INVESTIMENTOS EM MANUFATURA E NACIONALIZAÇÃO



    Apesar das dificuldades impostas pela pandemia, a Meritor manteve os investimentos na fábrica de Osasco e o desenvolvimento de novos projetos, com aumento de nacionalização. “Investimos no parque industrial, na modernização para elevar a capacidade de nossas instalações com implantação de processos de manufatura mais eficientes e robotizados, além da expansão e atualização do LEM, nosso Laboratório de Ensaios Mecânicos, tornando-o referência global”, comenta o diretor de operações Alexandre Marien.

    Nas últimas décadas, o foco do desenvolvimento de produtos foi na redução de peso, especialmente com o lançamento dos eixos 17x e 18x, com carcaças soldadas a laser que dispensam o uso de fixadores, que contribuíram para economias de 2% a 3% no consumo de veículos comerciais equipados com esses conjuntos.

    Mais recentemente a Meritor aumentou o conteúdo local do eixo extrapesado MT-610, para tracionar até 125 toneladas, com a nacionalização do diferencial. Em outra evolução, começa a ser produzido neste semestre o MS-160 EVO, para aplicações até 45t ou 74t na versão tandem. Segundo a empresa, o eixo ficou mais leve e robusto que seu antecessor, indicado para operações mais severas.


    O Meritor MS-160 EVO: mais leve e robusto para aplicações severas

    Mais duas inovações estão previstas para serem introduzidas no portfólio a partir de 2022. A engenharia brasileira da empresa desenvolveu novos sistemas opcionais de controle de eixos, o Meritor Detachable e Meritor Auto-DCDL.

    O Auto-DCDL é uma unidade eletrônica instalada no próprio diferencial para controlar o travamento automático das rodas em pisos sem aderência. A solução que será oferecida como opcional plug & play para as montadoras a partir do ano que vem.

    Já o Meritor Detachable é um sistema que transforma o cavalo mecânico 6x4 em 6x2 (nas versões em que o equipamento não suspende o eixo). A solução, segundo a fabricante, pode reduzir em 33% os gastos com pedágios e também diminui custos de manutenção e desgaste de pneus, além de trazer redução no consumo de combustível de até 2% com o segundo eixo trativo desacoplado ou até 5% se ele for suspendido. A inovação foi desenvolvida 100% pelo time brasileiro de engenharia e pode equipar os eixos da marca 6x4 e 8x4 tandem dos modelos MT-14x, MT-150, MT-160 e MT-610.