Mesmo com mercado em alta, Librelato cresce acima da média neste ano

Sede administrativa da Librelato em Içara (SC), inaugurada neste ano

Por REDAÇÃO AB
  • 28/06/2021 - 18:07
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    A Librelato, uma das principais fabricantes de implementos rodoviários do País, divulgou na segunda-feira, 28, que obteve crescimento de 93% no período de janeiro a maio deste ano, com receita operacional líquida aproximada de US$ 110 milhões. Esse bom desempenho chama ainda mais atenção pelo fato de o crescimento médio do mercado ter sido de 82%.

    “A renovação dos equipamentos no campo está puxando as vendas, assim como a volta da construção civil e as novas concessões de infraestrutura potencializam os negócios; atualmente, dois terços do PIB brasileiro rodam em semirreboques”, afirmou José Carlos Sprícigo, CEO da Librelato, explicando que o agronegócio responde pela maioria dos negócios no setor, com mais de 60% das operações. Segundo os dados da Anfir (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários), as vendas de reboques, semirreboques e de carrocerias sobre chassis cresceram 67,6%, enquanto as exportações avançaram 182,8% nos cinco primeiros meses do ano.

    Publicidade



    Ainda de acordo com Sprícigo, o principal obstáculo para a recuperação do mercado quando a pandemia terminar serão os gargalos de abastecimento. “A alta demanda da cadeia, afetada pela pandemia, aumentou os custos e reduziu os estoques. É preciso administrar a escassez de peças e insumos com estratégia, mas, acreditamos em um 2022 mais equilibrado entre oferta e demanda”, declarou. A Librelato produz 60 unidades por dia e espera crescer 15% no próximo ano. A fabricante também obteve bons números nas exportações, com 400 produtos embarcados em 2020, número que, segundo ela, não foi melhor por conta dos efeitos da pandemia, tanto que a empresa prevê exportar mais de 1 mil produtos neste ano. Além disso, a empresa também investe no aftermarket, por meio das lojas Libreparts. O crescimento previsto pela empresa nesse segmento é de 78% em relação a 2020.

    A fabricante confirmou ainda que pretende investir cerca de R$ 6 milhões até o fim deste ano em melhorias tecnológicas em seus processos de produção. Além disso, ela vai lançar sua linha de produtos 2022 em breve, incluindo três novidades cujos detalhes ainda não foram revelados. O que se sabe é que os novos implementos deverão contar com sistema EBS (Electronic Brake System), que deve se tornar obrigatório a partir de 2023 e ajusta automaticamente – por meio de sensores – a pressão de frenagem exata para fazer o veículo parar sem prejudicar o controle e com maior segurança.