Motos têm pior mês desde fevereiro de 2009

Comparação com emplacamentos de setembro de 2011 revela queda de 33,9%

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 02/10/2012 - 10:59
  • | Atualizado há 2 months
  • 54 segundos de leitura
    Com 115.273 motos emplacadas, setembro foi não só o pior mês do ano como também o dos últimos três anos e meio. Num período recente, só se encontra resultado inferior a este em fevereiro de 2009 (106.729 unidades), quando o mercado de motos havia estagnado como reflexo da crise econômica mundial deflagrada meses antes. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionárias.

    Voltando a 2012, o licenciamento de motos novas de setembro foi 18% inferior ao de agosto (140.644 motos) e 33,9% pior que o de setembro do ano passado (174.506 unidades). No acumulado deste ano, 1.234.008 motos novas chegaram às ruas, queda de 13,3% na comparação com os mesmos nove meses de 2011 (1.434.239 unidades).

    Os números ruins do setor refletem a restrição ao crédito, sentida pelo setor desde o fim de 2011 e acentuada em maio deste ano. Segundo a Abraciclo, associação que reúne fabricantes de motos, o índice de aprovação das fichas estaria abaixo de 20%. Nesta quinta-feira, 4, a entidade realizará entrevista coletiva com o balanço desses nove meses para os setores de motos e bicicletas. O menor número de dias úteis deste setembro (19, ante 23 em agosto) também serve para explicar a queda nos emplacamentos, mas é possível que a entidade aponte outras razões, como, por exemplo, a diminuição do fluxo de consumidores às concessionárias.