Na Abeifa, Volvo é a que mais vende veículos importados no Brasil

SUVs impulsionam vendas da Volvo no Brasil (a partir da esquerda): XC60, XC90 e XC40

Por SUELI REIS, AB
  • 02/10/2020 - 17:44
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    A Volvo é a marca que mais vende carros importados no Brasil, considerando o desempenho de todas as 15 empresas que formam a Abeifa, associação das importadoras e fabricantes. A marca sueca encerrou o acumulado de janeiro a setembro com pouco mais de 4,8 mil veículos emplacados, o que lhe garantiu uma participação de 24,3% do total de 19,8 mil unidades, que é a soma das vendas de todas as associadas à entidade. Este volume conta apenas os modelos importados, sem produção nacional.



    - Faça aqui o download dos dados da Abeifa
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência



    Embora as vendas da Volvo tenham representado queda de 11,8% sobre o desempenho da marca em mesmo período do ano passado, a empresa destaca que setembro entra para sua história no Brasil por dois fatores: primeiro por ter sido o mês em que a marca sueca alcançou a segunda posição no segmento premium pela primeira vez no País, com 18,1% de participação. Em segundo, foi o melhor mês em vendas de sua operação por aqui.

    “Fizemos o melhor mês de varejo da história da Volvo no Brasil”, comemora João Oliveira, diretor geral de operações e inovação. “Os resultados mostram que estamos corretos em nossas convicções, o futuro do mercado premium será eletrificado e esse futuro já é parte do nosso presente, estamos acelerando a migração para os veículos híbridos ainda mais e investindo em estrutura em todo o Brasil para termos 700 eletropostos até o fim deste ano, ampliando as possibilidades para os clientes usarem os veículos no modo elétrico em diversos lugares”, destaca.

    No acumulado de nove meses, a Volvo ocupa a terceira posição no segmento premium, com 15,4% de market share.


    Gráfico mostra a participação por marcas no mercado de veículos importados. (Fonte: Abeifa)

    Outras marcas premium, como a BMW e a Porsche também performaram com bons resultados. A BMW encerrou o acumulado janeiro-setembro como terceira colocada no ranking da Abeifa só de importados, com 2,7 mil unidades emplacadas, atrás apenas da líder Volvo e da vice-líder Kia, esta com 21,4%, enquanto a BMW ficou com 13,6%.

    Ao considerar a soma dos importados com os modelos nacionais, a BMW passa para a vice-liderança, com 21,3% de um total de 40,4 mil unidades, e atrás apenas da Caoa Chery, líder do ranking geral da Abeifa, com 31,3% de todos os veículos vendidos entre os membros da associação. N

    Outro destaque entre os membros da Abeifa é a Porsche, que embora seja só importadora, figura como a quinta marca mais vendida, com pouco mais de 2 mil veículos vendidos entre janeiro e setembro deste ano. Com isso, a marca alcança participação de mercado de 10,2% entre as associadas e registra expressivo crescimento de 62,5% na comparação com o ano passado.


    O gráfico mostra a participação por marcas, desta vez considerando modelos importados e nacionais, fabricados por membros da Abeifa. (Fonte: Abeifa)

    Além da Porsche, a Land Rover também registrou crescimento das vendas neste ano, mesmo diante de uma crise pandêmica – as duas foram as únicas com variação positiva na comparação anual. A marca britânica vendeu pouco mais de 2,6 mil modelos importados em nove meses, uma alta de 17,7% sobre igual período de 2019. Somados aos nacionais que produz em sua fábrica de Itatiaia (RJ), o volume de vendas supera as 3,8 mil unidades, o que desta vez, representa queda de 10% sobre o ano passado.

    Entre os importados, a Land Rover registra participação de 13,2%, enquanto no ranking geral, de importados e nacionais, seu market share fica em 9,5%.

    Mesmo com bons resultados entre algumas marcas que apenas importam, sem produção nacional de veículos, a Abeifa atingiu um volume de vendas de nacionais que superou o de importados e esta é uma tendência que deve continuar nos próximos anos (leia aqui).