Ônibus registram queda de 33% na produção de 2020

Fortemente afetado pela pandemia, segmento pode reverter quadro em 2021, prevê Anfavea

Por SUELI REIS, AB
  • 08/01/2021 - 17:38
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    Apontado como o segmento mais impactado pela pandemia no setor automotivo, os ônibus encerraram 2020 com produção em queda de 33,5% na comparação com o ano anterior, totalizando 18,4 mil unidades, de acordo com o balanço do ano divulgado na sexta-feira, 8, pela Anfavea, associação que reúne as fabricantes. As linhas de montagem sucumbiram a um mercado enfraquecido pela baixa demanda causada pelas medidas de isolamento, diminuindo drasticamente ao longo de todo o ano a demanda do transporte urbano público e principalmente do rodoviário.


    - Faça aqui o download dos dados da Anfavea
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência



    Com este resultado, 2020 se confirmou com o pior volume anual de produção de ônibus desde 1999. No último mês, com apenas 1 mil chassis, o setor teve o pior dezembro desde 2016.

    No mercado doméstico brasileiro, em todo o ano passado foram vendidos 13,9 mil ônibus, queda de 33,4% sobre 2019, quando o setor havia registrado o emplacamento de quase 21 mil unidades. O volume fechado de 2020 ficou bem próximo ao esperado pelas fabricantes e foi o pior resultado anual desde 2017.

    <script>!function(e,i,n,s){var t="InfogramEmbeds",d=e.getElementsByTagName("script")[0];if(window[t]&&window[t].initialized)window[t].process&&window[t].process();else if(!e.getElementById(n)){var o=e.createElement("script");o.async=1,o.id=n,o.src="https://e.infogram.com/js/dist/embed-loader-min.js",d.parentNode.insertBefore(o,d)}}(document,0,"infogram-async");</script>

    O mercado nacional de ônibus só não foi pior por causa do programa Caminho da Escola, principal cliente da indústria no ano passado. Segundo o vice-presidente da Anfavea, Marco Saltini, há uma expectativa de mais ônibus para o programa neste novo ano.

    “Em 2021, prevemos um crescimento de 13% para ônibus, com algo em torno de 16 mil unidades, sustentado pelo Caminho da Escola. Tem uma nova licitação de quase 7 mil ônibus, que era para acontecer agora em janeiro, foi postergada, mas vai acontecer, então é uma expectativa de crescimento”, disse o vice-presidente da Anfavea.