Peugeot 208 decepciona em teste do Latin NCAP

Modelo ficou com apenas 2 estrelas em proteção para adultos. Kia Picanto zerou

Por REDAÇÃO AB
  • 08/06/2016 - 16:48
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    A Peugeot é mais uma montadora que passou vergonha em testes do Latin NCAP, entidade que avalia a segurança de veículos novos na América Latina e no Caribe. O novo 208, lançado no mercado brasileiro em abril último, recebeu apenas duas estrelas das cinco estrelas possíveis em proteção aos ocupantes adultos. A nota foi um pouco melhor em segurança para crianças, com três estrelas.

    Com isso, a nova geração do modelo tem pontuação menor do que a versão anterior, avaliada em 2014 e classificada com quatro estrelas na época. A entidade aponta que a diferença reflete uma mudança nos critérios de segurança aplicados na análise, que ficaram mais rigorosos. Entre os novos parâmetros, está a inclusão de teste de colisão lateral, avaliação em que o 208 mais mais desapontou.

    “O Latin NCAP está decepcionado com a estratégia da Peugeot vendendo um modelo fabricado localmente sem proteção lateral, obrigatória desde 1995 na Europa”, observa em comunicado María Fernanda Rodríguez, presidente da organização. Segundo a entidade, alguns importadores da marca trazem o carro da França para vender em alguns países da América Latina com melhor nível de equipamentos.

    O modelo fabricado em Porto Real (RJ), no entanto, apresenta proteção menor do que a esperada para a categoria. O veículo testado foi comprado na Argentina. Ainda assim, é pouco provável que a versão vendida no Brasil tenha melhor performance no teste de impacto lateral. Apesar de ser um item de segurança antigo, a barra de proteção lateral não é obrigatória no Brasil.

    KIA PICANTO ZERA NO TESTE

    Enquanto o Peugeot 208 conquistou nota baixa no Latin NCAP, o Kia Picanto não recebeu nem mesmo uma estrela. O modelo, importado da Coreia do Sul, zerou na avaliação de proteção aos ocupantes adultos e recebeu apenas uma estrela em proteção infantil. O carro testado é o mais básico da gama, o Morning, e foi comprado na Colômbia. O país não exige airbag duplo frontal de série, como acontece no Brasil.

    Segundo o Latin NCAP, os resultados mostram descaso com a segurança dos consumidores da região. Para mudar este cenário, a entidade reforça a necessidade de que os governos imponham legislações mais severas de segurança. Por outro lado, a organização defende que as montadoras parem de fazer lobby contra a aprovação de novas leis de segurança e permitam que os países sigam as recomendações da Organização das Nações Unidas.