Ponto eletrônico: falta equipamento, diz Lupi

Para o ministro medida vai ajudar trabalhador.

Por Roberta Lopes, Agência Brasil
  • 20/08/2010 - 00:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social

    Roberta Lopes, Agência Brasil

    O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse na quinta-feira, 19, que a decisão do governo federal em adiar o prazo para as empresas se adequarem às normas que regulamentam o uso do ponto eletrônico foi tomada porque a produção industrial desses equipamentos não poderia atender à demanda do mercado.

    Lupi negou que o adiamento tenha sido motivado por pressões do setor empresarial, que queria o fim da norma. “Quem me conhece sabe que não sou homem de sofrer pressões. Estamos convictos de que essa medida será boa para patrões e empregados, inclusive para a Justiça do Trabalho. A maior parte das reclamações na Justiça se refere ao não pagamento de horas extras”, alegou.

    Segundo o ministro, a medida vai possibilitar que o trabalhador possa reclamar diretamente o não pagamento de horas extras.

    Com o adiamento, a norma passará a valer a partir de 1º de março de 2011. A medida iria começar a valer a partir da quinta-feira, 26.