Prestes a sair de linha, Uno agora é vendido numa só versão

Fiat Uno já tem uma data agendada para sair de linha neste ano

Por REDAÇÃO AB
  • 17/05/2021 - 20:47
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    O Fiat Uno está com os dias contados. A Fiat enxugou a oferta do hatch na sua tabela mais recente e a partir de agora ele passa a ser vendido em apenas uma versão de motor e de acabamento: Attractive 1.0, com seu motor de quatro cilindros com 73/75 cv, como já mostra o site oficial da Fiat. Com isso, deixam de ser oferecidas as versões Drive e Way 1.0 (com 3 cilindros de 72/77 cv) e Way 1.3 (4 cilindros de 101/109 cv).

    Já não é segredo que o mercado está aguardando o encerramento da produção do modelo que é vendido no Brasil há 37 anos. No entanto, conforme adiantou nosso colunista Fernando Calmon no seu último artigo, o Uno já tem data para dar adeus: ele sairá de linha no dia 31 de dezembro deste ano.

    É por isso que o modelo tem agora uma só versão, comercializada por R$ 57.995 (em São Paulo), com a oferta de apenas dois opcionais de fábrica: Kit Visibilidade II (volante com regulagem de altura e limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro) por R$ 877 e preparação para som (R$ 1.022). O site ainda oferece outros equipamentos, mas todos são acessórios autorizados instalados na concessionária, como central multimídia com tela de 6,2 polegadas (R$ 9.220) e rodas de liga leve (R$ 3.668).

    O Uno, porém, não vai embora sozinho neste ano. Calmon revela que no dia 31 de dezembro a tabela da Fiat vai perder outros dois veteranos do mercado, o Grand Siena e o Doblò. A oferta dos dois também está reduzida. O Doblò dispõe de duas opções, para sete passageiros (Essence 1.8 por R$ 115.721) e para transporte de carga (Cargo 1.8 por R$ 103.898). Já o sedã é vendido nas motorizações 1.0 (R$ 60.522) e 1.4 (R$ 64.676).

    Apesar de ser um modelo tradicional no mercado, do ponto de vista de receita o Uno está longe de ser um carro relevante para a Fiat atualmente. O modelo que no passado foi o carro mais vendido do Brasil hoje não passa da 19ª colocação no ranking de automóveis da Fenabrave, segundo os números acumulados de janeiro a abril deste ano. Se somarmos as picapes, ele cai para o 23º lugar.

    Com apenas 10.042 unidades emplacadas no período, o Uno está atrás de Strada (41.450 unidades), Mobi (24.385), Toro (24.245) e Argo (21.616) dentro da linha Fiat. Não bastasse o problema de modelos de entrada terem uma margem de lucro muito baixa, a situação do Uno é agravada pelo perfil desses poucos compradores: a quase totalidade é formada por frotistas, onde as margens são menores ainda, quando não são negativas. Segundo o ranking da Fenabrave, neste ano 96,3% das vendas do hatch foram por venda direta.

    Assim como o Uno, os outros dois modelos da Fiat que estão de partida possuem também um baixo volume de vendas: o Grand Siena somou de janeiro a abril 4.804 unidades (sendo 36,7% de vendas diretas), enquanto as duas versões do Doblò emplacaram 1.757 veículos (93,5% para frotistas).