Produção da Volkswagen no Brasil deve crescer 12%

Aumento será puxado por Polo e Virtus, já que a maioria da linha perdeu espaço no mercado interno

Por MÁRIO CURCIO, AB
  • 27/07/2018 - 13:38
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    A produção de automóveis da Volkswagen crescerá 12% este ano na comparação com 2017, segundo Pablo Di Si, presidente e CEO da montadora para a América do Sul e Brasil. A informação foi divulgada pelo executivo durante a apresentação dos novos Gol e Voyage equipados com câmbio automático (veja aqui).

    A expectativa de crescimento está basicamente ancorada nas vendas internas do novo Polo e do sedã Virtus (montados em São Bernardo do Campo, SP, assim como a picape Saveiro) e nas exportações de toda a linha, já que as vendas no Brasil de quase todos os veículos da marca caíram neste primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado.

    O Polo foi o quarto carro mais vendido no primeiro semestre deste ano, com 34,1 mil unidades. O Virtus se aproximou das 17 mil unidades no período, apesar de suas vendas terem começado para valer somente em fevereiro. A Saveiro anotou 22,2 mil unidades e alta de 10,1%. A fábrica do ABC paulista vem operando em três turnos. Com o impulso dado pelos dois novos carros, as vendas internas da VW no primeiro semestre cresceram acima da média do mercado.

    “Nossas vendas cresceram 33%, enquanto o mercado total subiu apenas 14%”, comemora Pablo Di Si.



    A fábrica de Taubaté (SP) terá de contar com a ajuda das exportações para crescer, mas os argentinos devem comprar 10 mil Volkswagen brasileiros a menos este ano e a montadora talvez não consiga compensar essa perda com outros destinos como Chile, Colômbia e Peru, por exemplo.

    Em Taubaté são fabricados 910 carros por dia em dois turnos e metade da produção vai para os países da América Latina. No mercado interno, os três modelos ali montados perderam espaço no primeiro semestre ante igual período do ano passado. O Up! ficou abaixo das 10 mil unidades e recuou 46,2%. O Gol registrou 32,5 mil unidades, 10% a menos. A queda do Voyage foi de 17%. O sedã teve pouco mais de 15 mil emplacamentos nestes seis meses.

    É verdade que a opção automática será um estímulo a mais para os dois, mas é pouco provável suas vendas cresçam significativamente em 2018 sobre o ano passado, já que eles perderam espaço para Polo e Virtus, concorrentes vendidos dentro da mesma rede de concessionárias.

    À ESPERA DO T-CROSS NO PARANÁ


    A fábrica paranaense de São José dos Pinhais espera uma virada com a chegada do utilitário esportivo compacto T-Cross, mas isso ainda levará alguns meses. A preparação para a montagem do modelo começa neste segundo semestre, mas a produção em série se inicia apenas em 2018, segundo Di Si.

    Em São José dos Pinhais são produzidos atualmente dois modelos Volkswagen. Um deles é o Golf, cujas vendas em todo o semestre foram de apenas 1,7 mil carros, 30% a menos que no primeiro semestre do ano passado. O outro é o Fox, que teve 18,7 mil unidades vendidas e recuou 10%.

    Em 2012 essa unidade montava a cada mês cerca de 18 mil carros. Neste ano foram menos de 4 mil unidades mensais incluindo na conta a produção dos Audi A3 sedã e Q3.

    Na fábrica de motores de São Carlos (SP), a Volkswagen informa que a produção crescerá 58% por causa das exportações.