Produção de ônibus no quadrimestre é pouco maior do que 7 mil unidades

Setor mais afetado pela pandemia teve a menor alta no acumulado do ano, apenas 10,6%

Por MÁRIO CURCIO, PARA AB
  • 07/05/2021 - 16:14
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    O setor de ônibus ainda é o mais afetado pela pandemia de Covid-19, resultando na baixa produção desses veículos. Em abril foram fabricadas 1,9 mil unidades, 12,9% a menos que em março. A comparação com abril do ano passado indica alta de mais de 370%, neste caso distorcida pela queda naquele mês em razão da quarentena.

    No acumulado do ano, os 7.048 ônibus fabricados resultam em alta de 10,6%, mas sobre uma base muito fraca de 6.370 unidades em iguais meses de 2020. Esta é a menor alta de todos os segmentos. A produção de automóveis cresceu 34,2% e a de caminhões, quase 85% (leia aqui). Os números foram divulgados na sexta-feira, 7, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

    A análise por segmento mostra que a produção de ônibus rodoviários caiu quase 50%, para 659 unidades no quadrimestre. Motivos já conhecidos como adiamento das renovações de frota e redução da atividade turística e de viagens intermunicipais ainda causam grande impacto no setor. Os ônibus urbanos são maioria na produção total e as 6,4 mil unidades fabricadas anotaram alta de 25%.

    “Ainda não é possível estimar uma retomada para o segmento, mas os números atuais estão alinhados com nossa projeção”, afirma o vice-presidente da Anfavea, Gustavo Bonini.



    Ele se refere às 20 mil unidades que serão produzidas até o fim do ano, aproximadamente. Destas, 16 mil serão vendidas no mercado interno, resultando em alta de 13% sobre o ano passado.

    EXPORTAÇÕES ABAIXO DE 2 MIL UNIDADES



    Em abril, os fabricantes locais enviaram 318 ônibus ao exterior, anotando queda de 14,5% em relação a março. O acumulado do ano teve apenas 1.163 unidades exportadas, resultando em acréscimo de 7,8%, novamente sobre uma base de comparação muito baixa.

    O fraco desempenho nas vendas externas decorre de problemas semelhantes aos do mercado local (redução do número de passageiros e queda na atividade turística). Nestes quatro meses o Brasil só exportou 395 ônibus rodoviários, 18,2% a menos que em iguais meses do ano passado.

    CAMINHO DA ESCOLA AINDA PUXA MERCADO INTERNO



    Os ônibus emplacados em abril somaram 1.174 unidades, seis a menos que em março. “Desse total, 28% foram entregues ao Caminho da Escola”, afirma Bonini. Assim, cerca de 330 veículos foram destinados em abril a esse programa governamental.

    A fatia dos urbanos foi a segunda mais alta, 24%. Os ônibus rodoviários responderam por 11% das entregas no mês e os fretados, por 9%. A demanda deste último vem sendo puxada pela necessidade de aumentar o distanciamento entre os funcionários transportados.



    - Faça aqui o download dos dados de desempenho da indústria no primeiro quadrimestre de 2021 divulgados pela Anfavea
    - Faça aqui o download do estudo da Anfavea sobre a participação no mundo da indústria de veículos no Brasil
    - Veja outras estatísticas em AB Inteligência