PSA mostra nova geração de vans compactas Citroën, Peugeot e Opel

Vendas começam este ano na Europa; nova Berlingo foi apresentada primeiro

Por REDAÇÃO AB
  • 15/02/2018 - 20:00
  • | Atualizado há 2 months
  • 3 minutos de leitura

    O Grupo PSA divulgou a nova cara de sua nova geração de vans compactas Peugeot, Citroën e Opel, que começam a ser produzidas e vendidas na Europa a partir de setembro próximo. As três foram desenvolvidas sobre a nova plataforma EMP2, projetada em acordo de parceria com a General Motors, antes de a PSA comprar desta a Opel/Vauxhall, no ano passado. Todas terão versões em dois comprimentos para cinco ou sete passageiros e de carga, trazendo avanços em tamanho, modularidade e tecnologia, incluindo motores e equipamentos de assistência ao motorista de última geração.

    A nova família de vans deve substituir as atuais Citroën Berlingo, Peugeot Partner e Opel Combo Combi. A primeira a ser apresentada foi a Berlingo, as outras duas devem aparecer na próxima semana. As três ganharam design completamente novo por fora e por dentro, seguindo a identidade visual distinta de cada marca.

    Os três veículos serão produzidos nas fábricas de Vigo, na Espanha, e de Mangualde, Portugal, que receberam investimentos e passaram por modernizações para operar com processos automatizados da chamada Indústria 4.0. O Grupo PSA já anunciou que nos próximos meses será criado um quarto turno em Vigo e um terceiro turno em Mangualde para atender a demanda esperada.

    A PSA já produziu na Argentina versões de passageiro e carga da Citroën Berlingo e da Peugeot Partner. Ainda mantém em produção lá o furgão Partner. O grupo prometeu renovar toda a linha de utilitários que vende no Brasil e demais países latino-americanos, mas não revelou se vai fazer as novas vans compactas na fábrica argentina, se irá importa-las da Europa ou executar a montagem de partes importadas na Nordex do Uruguai, como já é feito atualmente com os furgões médios Citroën Jumpy e Peugeot Partner.

    NOVA CITROËN BERLINGO





    Na quinta-feira, 15, a Citroën divulgou na Europa imagens e algumas informações sobre a terceira geração da Berlingo, a primeira a ser mostrada por inteiro da nova safra de vans compactas do Grupo PSA. Totalmente redesenhada, seguindo os padrões mais recentes de identidade visual da marca.

    Para os mercados europeus, a van de passageiros será vendida com duas opções de powertrain: o já conhecido dos brasileiros PureTech 1.2 a gasolina de 110 cavalos com câmbio manual de seis marchas, ou, a partir do segundo semestre de 2019, com 130 cv e a nova transmissão automática EAT8, de oito velocidades; e também com motor diesel Euro 6 BlueHDi calibrado em três diferentes potências, de 75, 100 ou 130 cavalos, com caixa manual ou automática EAT8.

    São duas opções de comprimento, ambas com cinco ou sete assentos. A Berlingo M com 4,4 metros de comprimento e entre-eixos de 2,78 m, a XL mede 4,75 m e 2,97 m entre as rodas. A capacidade do porta-malas é de 775 e 1.050 litros, respectivamente.



    A nova plataforma permitiu a inclusão de diversos sistemas de assistência ao motorista como head-up display (informações de velocidade e navegação são projetadas virtualmente na linha de visão sobre o capô), controle de velocidade de cruzeiro adaptativo com frenagem e aceleração automáticas mantendo distância fixa em relação ao carro da frente (ACC), assistência de partida em rampa, câmera de ré e visão 360 graus, alerta de troca de faixa de rodagem. A central de infoentretenimento é comandada por tela tátil de 8 polegadas no centro do painel, que roda Adroid Auto, Apple Car Play Mirror Link para conexão com os aplicativos do smartphone. O interior tem 28 compartimentos para objetos e uma doca sem fio para recarga do celular.

    Com assoalho completamente plano na traseira, a Berlingo abriga em seu interior a segunda fileira de assentos com três lugares e, opcionalmente, mais dois bancos na parte de trás que podem ser removidos. O vidro da porta traseira também abre.



    Segundo a Citroën, a Berlingo é o modelo mais vendido da marca atualmente em 15 países. Desde o lançamento, em 1996, foram produzidas 3,3 milhões de unidades no mundo, sendo 1,7 milhão de versões para passageiros e o restante para carga. No ano passado, a produção da segunda geração, lançada em 2008, alcançou o recorde de 165 mil.