Renault fecha acordo com sindicatos franceses

Pacto permitirá aumento de produção e economia de US$ 650 milhões

Por REDAÇÃO AB
  • 13/03/2013 - 15:30
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    Após quase seis meses de negociações, a Renault e representantes de sindicatos franceses assinaram acordo na quarta-feira, 13, para garantir empregos na França. A montadora promete elevar a produção no país, chegando a 710 mil veículos por ano até 2016, o que representa salto próximo a 40% em relação a 2012, quando a empresa fabricou no mercado doméstico pouco mais de 530 mil unidades. Segundo jornais franceses, a negociação deve gerar economia de mais de US$ 650 milhões.

    A medida, segundo a fabricante, visa a elevar a taxa de utilização geral das instalações na França para mais de 85% e deve permitir planejamentos de longo prazo para suas unidades até 2020. A Renault ressalta que esse nível de atividade também será benéfico para as unidades que produzem componentes de suspensão, motores e transmissões.

    Pelo acordo, a montadora também se compromete a manter a atividade em todos os seus locais de produção na França. Uma comissão formada por três representantes de cada sindicato envolvido no pacto, além de membros da administração da Renault, será criada para garantir que os termos do acordo sejam cumpridos: a taxa de utilização da capacidade produtiva, a adoção de medidas de caráter social, pesquisa e inovação serão itens obervados e perto pela comissão.

    Segundo a agência Reuters, como decorrência desse acordo, nos próximos meses a Renault anunciará planos para produzir mais veículos para a Daimler ou para a Nissan (controlada pela Renault). No acordo assinado com os sindicatos, a Renault se compromete a produzir 80 mil veículos anualmente para marcas parceiras, ajudando a preservar empregos na França.

    Ainda de acordo com a Reuters, Ghosn admitiu que o sucesso do acordo dependerá parcialmente de reconquista de consumidores para a própria Renault na Europa.