Renault revela o Arkana por inteiro em Moscou

O crossover-cupê Arkana no estande da Renault no Salão de Moscou: possível futuro SUV brasileiro

Por REDAÇÃO AB
  • 29/08/2018 - 20:01
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    A Renault revelou por inteiro o Arkana, ainda na qualidade de protótipo, em seu estande no Salão de Moscou na quarta-feira, 29. Definido pela fabricante como um “crossover-cupê”, tem visual dos atuais SUVs compactos que invadiram o mercado brasileiro nos últimos anos, mas com a traseira mais rebaixada dos cupês. Segundo a Renault, o modelo entrará em produção em 2019 primeiro na Rússia, atualmente o segundo maior mercado da marca francesa no mundo, com tendência para se tornar o primeiro até 2022, último ano do plano estratégico em curso, o “Drive the Future”. Depois o Arkana será produzido em outros países, com forte aposta da imprensa especializada de também chegar ao Brasil a partir de 2020.

    Com a nova oferta de um crossover (ou SUV compacto) no segmento C, que define um carro de tamanho médio nos padrões europeus, a Renault aposta na fatia de mercado que mais cresce nos países emergentes (ou subdesenvolvidos), onde se inclui o Brasil. Por isso o novo carro, de acordo com a Renault, tem papel de protagonista no objetivo de acelerar o ritmo de crescimento internacional do grupo e aumentar o volume anual de vendas a 5 milhões de unidades a partir de 2022.



    Em comunicado, a Renault afirma que “o novo veículo será produzido e comercializado em diferentes países, começando na Rússia já em 2019 e posteriormente na Ásia e em outras regiões”. O Brasil, com a fábrica do grupo em São José dos Pinhais (PR), faz parte das intenções ainda não citadas claramente pela empresa.

    “A ideia deste conceito inovador nasceu na Rússia e o projeto foi conduzido com grande envolvimento das equipes da Renault no país. O Arkana responde às expectativas dos clientes russos, mas também a de inúmeros clientes de todo o mundo, permitindo que o Grupo Renault acelere ainda mais sua expansão internacional”, disse Nicolas Maure, vice-presidente sênior do grupo e presidente da Região Eurásia.



    O mercado russo vem ganhando relevância crescente para a Renault, especialmente a partir de 2014, quando a empresa comprou o controle acionário total da Avtoframos, empresa de montagem de veículos que desde 1998 mantinha em sociedade com o município de Moscou. Em 2017, o Grupo Renault vendeu 448.270 na Rússia e abocanhou 28% de participação.

    A aposta com o Arkana é que a mistura de estilos, ao combinar a elegância de um cupê com a robustez de um SUV, crie para a marca um diferencial competitivo em um dos segmentos mais concorridos nos mercado emergentes. A intenção é oferecer design atraente em um carro com atributos para enfrentar condições difíceis de clima e solo irregular, típicas dos países-alvo do modelo. Com suspensão elevada, linhas alongadas e teto panorâmico de vidro, o protótipo apresentado em Moscou foca nessas qualidades.