Salão de Frankfurt: novos rumos e soluções

Transformação é a palavra de ordem para a indústria

Por Giovanna Riato, Automotive Business
  • 13/09/2011 - 23:35
  • | Atualizado há 2 months
  • 3 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Giovanna Riato, AB
    De Frankfurt, Alemanha


    O Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt adiantou para a imprensa os lançamentos nesta terça-feira, 13, antes da abertura oficial, que acontece em 15 de setembro. Há duas palavras que definem bem a 64ª edição do evento. A primeira é grandiosidade, com recorde de área ocupada, no total de 235 mil metros quadrados tomados por estandes e pavilhões imponentes. Transformação é outra boa definição para a mostra, que deixa claro que a indústria automobilística busca novos caminhos, cada empresa e mercado ao seu estilo.

    A necessidade de reduzir emissões e aumentar a eficiência energética impulsiona os saltos tecnológicos vistos por todos os lados nos estandes, com uma ampla oferta de produtos que vai desde superesportivos com motores a combustão mais amigáveis ao meio ambiente a compactos elétricos com emissão zero. A corrida pela solução mais eficiente, barata e menos poluente fez a exposição superar uma nova marca: a de lançamentos de carros elétricos. A Mercedes-Benz, famosa pelo requinte, abriu seu estande com o tema “Electric Drive for Everybody”, algo como mobilidade elétrica para todos (veja foto acima)

    Também por esse motivo o evento pode ser visto como o “salão dos carros pequenos e urbanos”, como definiu Tobias Moers, que comanda o desenvolvimento de veículos na Mercedes-Benz. Os indícios estão espalhados pelos estandes dos fabricantes em todos os pavilhões. Alguns exemplos são o Volkswagen Up! (foto mais abaixo), os Fiat 500 e novo Panda, o Hyundai i30, entre muitos outros, o que inclui o sucesso de marcas premium voltadas para o segmento de compactos, como a Mini, que apresentou o Cooper Coupé e lançou o slogan “Be Mini”, ou “Seja Míni” (foto abaixo).





    Emergentes agora influenciam tendências

    Além das dificuldades de mobilidade em centros urbanos, o crescimento da oferta de carros pequenos também pega impulso no aumento do interesse das empresas pelos mercados emergentes, especialmente na América Latina e Ásia. Há poucos anos, muitas das empresas do setor nem mesmo atuavam em alguns desses mercados. O cenário é bem diferente na edição de 2011 do tradicional evento de Frankfurt.

    Os executivos globais das montadoras têm respostas na ponta da língua para perguntas sobre os planos para os países em crescimento, como o Brasil. As empresas precisam ainda lidar com a competição com montadoras dessas regiões: os famintos chineses e coreanos.

    O terreno é fértil para o aumento da oferta de modelos compactos simples. A ideia é oferecer o primeiro carro aos consumidores de regiões em crescimento, mas sem abrir mão de conteúdo tecnológico e, principalmente, sem perder a briga para as novas marcas que avançam rapidamente.