Salão de Genebra 2011

Fernando Calmon analisa as novidades do evento.

Por Fernando Calmon, especial para AB
  • 02/03/2011 - 16:49
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 4 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Fernando Calmon, especial para AB
    De Genebra


    É verdade que esta 81ª edição do Salão de Genebra não tem muitas novidades, mas surpresas sempre acontecem. Há coisas chocantes, como o preço do Opel Ampera – versão europeia do Chevrolet Volt – que com mais equipamentos em relação a sua contraparte americana (que também será vendida no mercado europeu) surpreendeu: quase US$ 60 mil. Assim, esse híbrido em série plugável em tomadas elétricas encontrará pouco compradores.

    Também chocante, no sentido convencional da palavra, é o Ferrari FF, uma das mais aguardadas estreias mundiais na exposição suíça. Trata-se de um cupê de quatro lugares, tração nas quatros rodas (pela primeira vez na história da marca) e uma estranha terceira porta de um hatch convencional. Definitivamente, estilo estranho que foge dos padrões de um puro-sangue.

    Como contraste, a rival de sempre Lamborghini apresentou o sucessor do Murcielago. O Aventador impressionou por suas linhas ousadas, mas também pela beleza ímpar. Ainda nesse campo dos carros esporte, porém alguns degraus abaixo, a Toyota exibiu o conceito FT-86 II, um cupê esporte desenvolvido em colaboração com a Subaru. O carro está praticamente pronto, foi desenhado na Europa e utilizará um motor de cilindros horizontais, marca registrada Subaru.

    Em outro tipo de corrida – a dos lucros – os bons ventos continuam a soprar para o Grupo Volkswagen que superou os resultados financeiros da Ford em 2010. E em Genebra os lançamentos do grupo alemão continuam em ritmo quase frenético. O novo Tiguan herdou a identidade visual da Volkswagen (era um dos últimos ainda sem atualização); a Audi mostrou, ainda em conceito, como será o novo A3 (no caso, um novo tipo de carroceria de dois volumes e meio que alguns chamam de sedã); a nova identidade visual da subsidiária espanhola Seat causou ótima impressão com o conceito Ibx que antecipa o SUV compacto de uso predominantemente urbano.

    Até mesmo Giorgetto Giugiaro mostrou o Go! (modelo compacto) e o Tex (cupê médio-compacto) como seus primeiros trabalhos de pré-criação, depois que a sua Italdesign foi adquirida no ano passado pela VW. A provável releitura modernizada da Kombi surgiu aqui com jeito de “agora vai”. Bulli, como está sendo chamado, é um modelo simpático e aparentemente mais viável do que a primeira tentativa de reviver modelos do passado há cerca de uma década, no embalo do New Beetle – a VW cogitou de uma New Komki, sem seguir adiante.

    A Fiat mostrou o crossover Freemont que chegará ao Brasil ainda este ano, embora a fábrica de Betim ainda prefira ser discreta acerca do assunto, pois não houve (ainda) um anúncio oficial. Na realidade trata-se de um Dodge Journey com interior melhorado, painel e quadro de instrumentos todo novo e material de acabamento de boa qualidade, em especial os plásticos de toque suave que se estendem às laterais das quatro portas. O crossover será vendido nas versões de cinco e sete lugares, em toda a rede Fiat no Brasil, além da rede Chrysler.

    Quanto ao Fiat 500 mexicano, o desejo do CEO mundial da Fiat, Sergio Marchionne, anunciado no recente Salão de Detroit, não passou mesmo de puro capricho. Não existe tempo hábil para concluir os testes finais e a homologação antes de meados deste ano, como sempre foi o plano da subsidiária mineira.

    Já o carro-conceito Alfa Romeo 4C causou impacto. Terá apenas uma série especial a fim de demonstrar que o DNA da marca está vivo graças à tração traseira. Montado sobre um chassi tubular encomendado ao pequeno construtor italiano de carros de competição Dallara, indica que quando estrear em 2012 servirá como veículo de imagem com produção e torno de 1.000 unidades.

    Entre os carros de interesse para o Brasil mostrados em Genebra está o novo Peugeot 308. O desenho evoluiu bastante, externa e internamente, e resta saber se o carro a ser produzido na Argentina será igual ao europeu, conforme a promessa recente do grupo francês. Conforme previsto, a versão definitiva do Cruze hatch estava em destaque no estande da Chevrolet sem surpresas em relação ao carro exibido no Salão de Paris, em outubro passado. A Mercedes-Benz fez a apresentação formal do sedã Classe C (em Detroit os jornalistas viram o carro em evento fora do Cobo Hall) com leve reestilização e interior melhorado, além de exibir pela primeira vez a versão cupê. Segundo Philipp Schiemer, diretor de Marketing, este e todos os Mercedes-Benz, no prazo máximo de três anos, estarão equipados de série com o sistema desliga-liga o motor para diminuir o consumo de combustível.