Scania suspende atividades por 10 dias; Volvo diminui em 70% produção de caminhões

Fábrica da Scania, em São Bernardo do Campo (SP) vai parar por dez dias

Por REDAÇÃO AB
  • 22/03/2021 - 19:16
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    A Scania Brasil anunciou na segunda-feira, 22, que vai interromper temporariamente as atividades em sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP) a partir do dia 25 de março até 5 de abril. A medida foi negociada com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e foi tomada para auxiliar no combate ao avanço da pandemia de Covid-19 em todo o País. Com isso, a montadora de origem sueca se junta à Volkswagen, que anunciou a suspensão de suas operações entre os dias 24 de março e 5 de abril.

    A paralisação temporária das unidades de Scania e VW deve contribuir para aumentar o índice de isolamento físico não só em São Bernardo do Campo, mas também na capital, onde a prefeitura anunciou a antecipação de cinco feriados (Corpus Christi e Consciência Negra de 2021 e 2022 e o aniversário da cidade de 2022) como medida para restringir a movimentação nas ruas e, com isso, tentar frear o avanço da nova onda da Covid-19. O “megaferiado” – como está sendo chamado – começa na sexta-feira, 26 de março e vai até o dia 1º de abril, emendando com o fim de semana da Páscoa.

    O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou que segue negociando com as demais empresas da região – lembrando que GM, em São Caetano do Sul e Mercedes-Benz, em São Bernardo do Campo, são as outras duas montadoras que possuem fábricas no ABC.

    VOLVO REDUZ PRODUÇÃO



    Já a Volvo, que possui fábrica em Curitiba (PR), anunciou que está reduzindo em 70% a produção de caminhões por conta da falta de insumos e componentes – não só na cadeia de suprimentos local, como na global, principalmente semicondutores – e também devido ao agravamento da pandemia. A empresa informa que a medida – que começa na terça-feira, 23, e see estende até o fim de março – vai impactar 2 mil dos 3,7 mil empregados da planta, mas que parte dos trabalhadores seguirá em atividade, incluindo as áreas de produção de chassis ônibus, do serviço de atendimento emergencial a veículos da marca e da distribuição de peças para concessionárias e oficinas autorizadas.

    Assim como a Scania, a Volvo possui clientes em fila de espera para receber caminhões já encomendados. A carteira de pedidos já se estendia até agosto e agora as entregas poderão atrasar mais.