Segunda onda da pandemia pode brecar vendas de carros híbridos e elétricos no País

Estudo revela desaceleração na comercialização de veículos eletrificados

Por REDAÇÃO AB
  • 12/02/2021 - 16:12
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    Informações levantadas consultoria MegaDealer dão conta que as vendas veículos híbridos e elétricos zero-quilômetro desaceleraram nos dois últimos meses do ano passado. O estudo aponta que giro de estoque desses modelos registrado em dezembro pelas revendedoras foi de 47 dias para a compra efetiva, contra 30 dias verificados em agosto e outubro, segundo dados analisados de 5.245 negociações realizadas por concessionárias cadastradas na plataforma Auto Avaliar.





    “Precisamos entender se o mercado vai se comportar da mesma maneira como ocorreu na primeira onda, quando o giro de estoque chegou a 73 dias em média em junho, e quando ele vai conseguir recuperar novamente”, afirma Fabio Braga, diretor geral da MegaDealer no Brasil. “Apesar desta desaceleração, os números mostram que os elétricos e híbridos já se tornaram uma opção de compra levada em consideração pelo brasileiro, afinal o mercado passou de aproximadamente 12 mil híbridos e elétricos vendidos em 2019 para quase 20 mil em 2020”, destaca.

    PREÇO MÉDIO DO CARRO HÍBRIDO OU ELÉTRICO SUPERA R$ 270 MIL



    Ainda segundo o estudo, com opções limitadas no mercado, muitas delas oferecidas só por marcas premium, o preço dos carros híbridos ou elétricos ultrapassa a casa dos três dígitos. E assim como este segmento cresceu em 2020, o preço médio também subiu. O brasileiro gastava pouco mais de R$ 157 mil em um modelo híbrido ou elétrico em 2019, já a partir do segundo semestre de 2020 esse valor aumentou muito, ultrapassando R$ 271 mil. “E se excluirmos os dados da Toyota, que lidera as vendas do setor com os modelos Corolla e RAV4, esse valor é ainda maior, chegando a R$ 357 mil”, destaca Braga

    “Apesar da desaceleração provocada pela nova onda da pandemia, este é um setor que ainda deverá crescer muito nos próximos anos”, acredita J. R. Caporal, CEO da Auto Avaliar. “Cada vez mais o brasileiro está em busca de veículos menos poluentes, mais econômicos e a indústria tem preparado novos lançamentos para atender esse público. Essa será uma das grandes tendências quando houver a retomada da economia”, aposta.