Setor de sucata ferrosa leva reivindicações ao MDIC

Documento sugere incentivo à reciclagem de veículos e linha de crédito para máquinas

Por REDAÇÃO AB
  • 13/09/2013 - 12:06
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    O Instituto Nacional das Empresas de Sucata Ferrosa (Inesfa), que representa as companhias responsáveis por 47% de toda a sucata preparada no Brasil, apresentou na sexta-feira, dia 13, ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), um documento com sugestões de políticas públicas favoráveis do setor.

    O objetivo é expor as dificuldades enfrentadas e apresentar propostas que, se adotadas, vão favorecer a competividade do segmento. O Inesfa defende a criação de políticas de incentivo à reciclagem da sucata ferrosa, como a renovação da frota em desuso (somente 1,5% desses veículos é reciclado no País).

    Outro ponto a discutir é a desoneração dos tributos que incidem na folha de pagamento e se refletem na capacidade de geração de emprego. As recicladoras geram mais de 1,5 milhão de postos de trabalho diretos e indiretos, segundo a Inesfa, que também pretende sugerir ao governo que as associadas tenham acesso a uma linha de crédito para compra de novas máquinas e equipamentos com recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

    As empresas também se preocupam com a possibilidade de taxação da sucata exportada, que causaria prejuízo ao setor. O pedido de taxação foi feito no ano passado pelo Instituto Aço Brasil (IABr), que representa as usinas siderúrgicas, mas por enquanto ainda não houve decisão do governo. Segundo o instituto, o país é responsável por apenas 0,2% da exportação de sucata no mundo. Isso representa 3,5% em relação ao consumo interno e portanto não haveria motivo para incidência tributária a fim de controlar o mercado interno.