Sindicalistas da VW debatem ferramentaria na Alemanha

Representantes reivindicam maior competitividade para a área no Brasil

Por Automotive Business
  • 14/03/2012 - 19:58
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Foto: (da esquerda para a direita) José Roberto Nogueira da Silva, coordenador da representação na Volks, Valdir Freire Dias, vice-presidente do Comitê Mundial dos Trabalhadores, Gilberto José de Souza e Geraldo Antônio de Freitas, membros da Comissão de Fábrica

    Redação AB

    Representantes dos trabalhadores da planta da Volkswagen de São Bernardo do Campo, SP, estão na matriz da montadora, em Wolfsburg, Alemanha, em um programa de integração para debater assuntos relacionados à ferramentaria da fábrica paulista, para torná-la mais competitiva e preparada para receber novos produtos. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, as consultas trarão subsídios ao movimento iniciado pelo próprio sindicato para fazer com que os veículos tenham desde seu projeto até a montagem final desenvolvidas no Brasil.

    “A ferramentaria e a engenharia devem ser parte integrante do conteúdo nacional dos veículos em com isso manter os empregos de maior qualificação”, afirmou José Roberto Nogueira da Silva, coordenador da representação na Volkswagen e que integra o grupo que está na Alemanha, formado por Valdir Freire Dias, vice-presidente do Comitê Mundial dos Trabalhadores, Gilberto José de Souza e Geraldo Antônio de Freitas, membros da comissão de fábrica.

    Em novembro passado, os trabalhadores da ferramentaria em São Bernardo realizaram assembleia no interior da fábrica para debater as estratégias de investimento que o sindicato reivindica das montadoras no País. Um mês depois, sindicato, pequenas ferramentarias, prefeituras do ABC e entidades patronais se reuniram para construir o Arranjo Produtivo Local (APL) de Ferramentaria na região, para impulsionar o setor de moldes e ferramentas.

    “A área de ferramentaria tem papel estratégico na nossa base e na indústria nacional”, disse Wagner Santana, secretário-geral do sindicato.