T-Cross lidera em julho e dá liderança à Volkswagen

T-Cross: vendas diretas no canal PcD dão liderança ao modelos e à Volkswagen em julho

Por JOEL LEITE, AUTOINFORME, E PEDRO KUTNEY, AB
  • 03/08/2020 - 20:30
  • | Atualizado há 2 months
  • 2 minutos de leitura

    O grande volume de vendas diretas pelo canal PcD – carros faturados com isenção de impostos diretamente a pessoas com deficiência, mas negociados em concessionárias – deram ao T-Cross o título de carro mais vendido do País em julho e garantiram à Volkswagen o topo do ranking de marcas mais vendidas pelo segundo mês consecutivo. Com 10.215 emplacamentos registrados no mês passado, o SUV representou cerca de um terço das vendas da Volkswagen, que emplacou 31.042 unidades, equivalente a participação de mercado de 19%, segundo números levantados pela agência Autoinforme

    . Com o resultado de julho, a GM desceu ao segundo lugar do ranking também pelo segundo mês seguido, ficando com market share de 17,2%, com 28.045 carros emplacados, e pela primeira vez em dezenas de meses seguidos o seu campeão de vendas, o hatch Onix, que com 9.716 emplacamentos perdeu a liderança entre os carros mais vendidos do País, ficando na segunda posição no mês. A fabricante e o carro, contudo, ainda sustentam a posição número um nas vendas acumuladas do ano.

    O bom desempenho da Volkswagen em julho mostrou que a liderança conquistada em junho não foi um acaso, já que a marca vem crescendo acima da média de mercado nos últimos dois anos e reduzindo a distância para a GM, fabricante que mais vende no mercado brasileiro desde 2016.

    Este resultado, contudo, carece de confirmação nos próximos meses, quando o número de vendas da Volkswagen a clientes PcD tende a cair, com a redução da fila de compradores que esperavam desde março pelo T-Cross configurado para este público – são veículos que a fabricante não conseguiu entregar antes porque precisou paralisar a produção por cerca de dois meses devido às medidas de contenção da pandemia de coronavírus.

    O T-Cross foi o único Volkswagen entre os dez primeiros veículos mais vendidos do País em julho, mas entre os 20 a marca tem mais quatro: Gol (13º), Polo (15º), Saveiro (18º) e Virtus (19º).

    Terceira colocada, a Fiat fechou o mês com 24.797 carros vendidos e 15,2% de participação, em boa medida graças à recém-renovada picape Strada, que foi o quarto veículos leve mais vendido em julho, com 6.565 unidades emplacadas no mês. O outro modelo melhor colocado da marca no mês foi o hatch Argo, na oitava posição, com 4.757 unidades.

    Destaque para a Hyundai, que se confirmou na quarta posição com uma grande distância dos concorrentes: a coreana vendeu 15.091 carros em julho e ficou com 9,3% de participação, contra 11.284 da quinta colocada, a Renault (6,9%).

    Ford e Toyota, em seguida, também tiveram participação acima dos 6% (veja quadro abaixo) e a Jeep apresentou um crescimento expressivo, atingindo 5,9%, com vendas de 9.570 carros, passando a Honda e ficando bem à frente da japonesa, que vendeu 5.807 unidades e ficou com 3,6%. A Nissan fecha a lista das dez marcas mais vendidas em julho.

    A soma da Jeep com a Fiat, dá à FCA a liderança de vendas como fabricante, com 21,1%.

    O MÊS DOS SUVs



    Julho também consolidou o crescimento meteórico dos SUVs no mercado brasileiro. Pela primeira vez na história um modelo da categoria foi o mais vendido do País em um mês. Mas além do T-Cross que conquistou o topo, ao todo quatro SUVs ficaram entre os 10 mais emplacados em julho: o Chevrolet Tracker, da GM, ficou na quinta posição (6.070 unidades), o Jeep Compass em sétimo (4.786) e seu irmão menor Renegade em nono (4.736) – isso sem considerar o Renault Kwid com 4.274 emplacamentos na décima posição, um carro de entrada que oficialmente, segundo Inmetro, é classificado como SUV.

    Com a liderança do T-Cross em julho, o Hyundai HB20 caiu para a terceira posição, ele que é vice-líder no acumulado do ano, atrás do Chevrolet Onix.