Tribunal do Chile aprova fusão entre TAM e LAN

Companhias deverão cumprir condições sobre tarifas e milhagem

Por Agência Brasil
  • 21/09/2011 - 20:28
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    Daniella Jinkings, Agência Brasil

    O Tribunal de Livre Concorrência do Chile (TDLC) aprovou nesta quarta-feira, 21 a fusão entre a companhia aérea brasileira TAM e a empresa chilena LAN Airlines. No entanto, a operação só poderá ser concluída se as empresas cumprirem onze condições impostas pelo tribunal, entre as quais a extensão dos benefícios do programa de passageiros das companhias aéreas por cinco anos; a imposição de limites para aumentos de tarifas e passagens aéreas e para aumento de fornecimento mensal de lugares em voos.

    A nova empresa precisará operar pelo menos 12 voos de ida e volta, semanais, entre o Chile e os Estados Unidos e terá de manter, por sete semanas, voos operando diretamente, ida e volta sem parar, em rotas entre o Chile e a Europa.

    De acordo com o TDLC, as medidas visam a garantir uma concorrência efetiva no mercado aéreo chileno e, enquanto isso não acontece, é uma forma de proteger os consumidores dos efeitos da fusão. As empresas ainda não se pronunciaram sobre as exigências. “Como a resolução do TDLC é complexa e considera uma série de medidas de mitigação, as duas companhias estão analisando cuidadosamente o teor da decisão. Assim que finalizada essa análise, TAM e LAN divulgarão seu posicionamento”, disse a TAM, em nota.

    Anunciada em agosto de 2010, a fusão da TAM com a LAN criará a Latam Airlines Group. Atualmente, a TAM lidera o mercado brasileiro, com 44,43% do transporte aéreo nacional, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No Chile, a LAN é a maior companhia aérea em operação.