Venda de veículos leves usados cai 10,3% em abril

Já a média diária de transações cresceu 3,1% no mês, apesar das restrições impostas pela Covid-19

Por MÁRIO CURCIO, PARA AB
  • 05/05/2021 - 16:30
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    Durante o mês de abril, a venda de automóveis e comerciais leves usados somou pouco mais de 820 mil unidades, resultando em queda de 10,3% em relação a março. A retração ocorreu pelo menor número de dias úteis (20, ante 23 do mês anterior) e por restrições ao comércio em razão da segunda onda de Covid-19.

    “As lojas ficaram fechadas em boa parte de abril não só no Estado de São Paulo. É verdade que as vendas on-line não pararam, mas no caso dos usados o cliente quer ver o veículo de perto”, recorda Ilídio dos Santos, presidente da Fenauto, que reúne 28 associações de revendedores do setor.



    Apesar do menor volume total de abril, a média diária de vendas para os autos e comerciais leves usados atingiu 41 mil unidades e cresceu 3,1% sobre a do mês anterior. E em todo o primeiro quadrimestre foram negociados 3,48 milhões de unidades, crescimento de 40,3% sobre igual período de 2020 – ano em que a segunda metade de março e abril inteiro foram praticamente perdidos pelo início da quarentena.

    De acordo com a Fenabrave, que divulgou os números do setor na quarta-feira, 5, a venda de veículos de segunda mão permanece aquecida, mas com algum temor dos bancos: “Os financiamentos continuam sendo ofertados, com uma análise de crédito mais seletiva das propostas”, afirma o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior. Ainda segundo a Fenabrave, a cada carro zero vendido em abril, outros 5,5 usados trocaram de mão.

    CAMINHÕES DOMINAM COMÉRCIO DE USADOS



    A venda de caminhões e ônibus de segunda mão seguiu o comportamento do mercado de novos. Em abril, 34,6 mil destes usados trocaram de titularidade, uma queda de 8,3% em relação a março. No acumulado do ano foram negociadas 135,7 mil unidades, resultando em alta de 49,2%. O mercado de pesados foi puxado pelos caminhões, que responderam por 91,2% das transações do segmento. Em abril, a cada caminhão novo entregue, outros 3,2 usados foram vendidos.

    Já os ônibus usados tiveram somente 11,9 mil unidades negociadas em todo o primeiro quadrimestre. Esse número representa uma pequena alta de 9% sobre iguais meses de 2020, enquanto o setor total de veículos de segunda mão cresceu mais de 40% no período.

    MOTOS: 45% DE ALTA NO QUADRIMESTRE



    Neste mês de abril, 248,2 mil motos usadas trocaram de mão, uma queda de 7,5% em relação a março. Já a média diária em abril alcançou 12,4 mil unidades e cresceu 6,3% sobre o mês anterior. O acumulado do ano já teve 1,03 milhão de motos usadas negociadas, número maior que esperado para o ano inteiro no mercado de motos novas (leia aqui). O total de usadas vendidas neste primeiro quadrimestre foi 45,1% maior que em iguais meses de 2020. Ainda segundo a Fenabrave, a cada moto nova emplacada em abril, 2,6 usadas mudaram de dono.