Vendas mundiais do Grupo VW mantêm queda de 3,7%

Europa e Américas param de crescer e não conseguem anular a retração no mercado chinês

Por REDAÇÃO AB
  • 14/06/2019 - 17:47
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    As vendas mundiais do Grupo VW de janeiro a maio somaram 4,4 milhões de unidades, resultando em queda de 3,7% em relação aos mesmos meses do ano passado. O resultado negativo continua sendo puxado pela retração no mercado chinês, onde o Grupo VW vendeu nestes cinco meses 1,56 milhão de carros, 7,4% a menos que em iguais meses de 2018.

    Com resultados melhores para a companhia em maio, a retração nas vendas do grupo se estagnou nos -3,7%, já que vinha piorando mês a mês: no acumulado do bimestre a queda era de -1,8%, que passou a -2,8% no trimestre e a -3,7% no quadrimestre. A queda se mantém porque as vendas na Europa continuam “andando de lado” e porque os menores volumes de mercados em crescimento (Brasil e Rússia) não conseguem compensar o mau resultado na Ásia Pacífico.

    A entrega de 1,96 milhão de unidades na Europa repetiu o volume de iguais meses de 2018. O pequeno crescimento na Alemanha (0,9%) foi anulado pela retração no Leste Europeu (-0,4%).

    Na América do Norte (-1,1%) é o México que vem puxando para baixo o resultado, já que as vendas nos Estados Unidos, maior mercado do continente, anotaram alta de 1,3%. Na América do Sul é desastroso o efeito Argentina. Embora as entregas do Grupo VW no Brasil tenham crescido 24,7% no acumulado do ano, as vendas totais na região aumentaram apenas 1,1%. Segundo o Grupo VW, a queda nas vendas argentinas em maio foi de quase 60% ante o mesmo mês do ano passado e é próxima a isso no acumulado de 2019.

    VENDAS POR MARCA


    A retração no mercado chinês afeta especialmente as marcas Volkswagen Automóveis (2,45 milhões, -5%) e Audi (739,5 mil, -5,8%), as duas de maior volume. A queda em parte do mercado europeu também afetou em medida semelhante a fabricante tcheca Skoda (508,4 mil, -5,2%).

    As divisões de veículos pesados mantêm altas mais consistentes, com crescimento de 9,8% para a MAN (58,4 mil unidades) e 10,4% para a Scania (42 mil veículos).

    Veja abaixo os resultados por região e por mercado: