Volkswagen perde R$ 355 milhões com a greve

Valor refere-se aos Golf, Fox e CrossFox não vendidos em 15 dias.

Por Mário Curcio, AB
  • 19/05/2011 - 18:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • 2 minutos de leitura

    <style type="text/css"> .texto { font-family: Verdana, Geneva, sans-serif; font-size: 10px; color: #666; } .texto { text-align: left; } </style>

    NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
    EmailRSSTwitterWebTVRevistaMobileRede Social


    Mário Curcio, AB

    A greve da Volkswagen do Paraná já produz perdas elevadas. É possível estimar que a marca deixe de vender aos concessionários, em 15 dias sem produção, o equivalente a R$ 355 milhões em Fox/CrossFox e Golf (já descontada a margem bruta da revenda). A cifra foi calculada a partir do total de carros que deixará de ser produzido até esta sexta-feira, 20, multiplicado pelo valor médio de cada modelo. Esse número deve crescer se a paralisação se estender (uma nova assembleia está marcada para segunda-feira, 23, pela manhã).

    Num raciocínio simples, o estrago provocado pela paralisação já é bem maior que a quantia pleiteada como Participação Pelos Resultados (PPR) pelos 3,6 mil trabalhadores daquela unidade da VW (R$ 12 mil para cada um, totalizando R$ 43,2 milhões). Por esse ponto de vista, portanto, sairia mais barato pagar o que os trabalhadores querem do que manter a produção parada.>

    Mas esta não parece ser a visão da direção da Volkswagen do Brasil. Nos primeiros dias da greve, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o presidente da empresa, Thomas Schmall, declarou que era preferível deixar a planta parada do que ceder ao sindicato, porque para compensar o pagamento do bônus seria necessário elevar o preço dos carros em níveis que o consumidor não estaria disposto a pagar.

    De acordo com a Associação Brasileira dos Distribuidores Volkswagen (Assobrav), o estoque atual de Fox seria suficiente para mais 27 dias de vendas, e 15 dias no caso do CrossFox. A entidade também não descarta a dificuldade de encontrar algumas versões mais específicas.

    De acordo com estimativa do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, em cada dia de trabalho na fábrica paranaense são produzidos 810 carros. Até esta sexta-feira, com mais de duas semanas de greve, cerca de 9 mil Fox e 1,1 mil Golf deixaram de ser produzidos pela VW.