Volkswagen rastreia peças em fábrica de motores

Sistema identifica cada componente dos modelos 1.0 e 1.6 da família EA 211

Por REDAÇÃO AB
  • 01/09/2014 - 15:25
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura

    A fábrica de motores da Volkswagen em São Carlos (SP) adotou um novo modo de identificação para as autopeças envolvidas na produção da nova geração de motores 1.0 e 1.6 da família EA 211, que equipa os modelos Up!, Fox BleuMotion e Highline, Gol Rallye e Saveiro Cross. O sistema permite identificar, separadamente, cada componente, desde sua fabricação até o produto final, com numeral de identificação, data e horário da produção, linha na qual foi produzida e seu fornecedor.

    “A rastreabilidade dos componentes traz ainda mais qualidade ao processo produtivo e para os nossos motores, pois nos permite acompanhar de forma ágil e bastante acessível o histórico de cada peça e do produto final”, diz Andreas Hemmann, gerente executivo da unidade.

    Cada componente recebe uma gravação a laser por meio da tecnologia Data Matrix Code (DMC), feita em forma de códigos. Os componentes são enviados pelos fornecedores já com a gravação. Peças como o bloco de motor e o cabeçote de cilindros recebem o código a laser na própria fábrica, na última etapa da linha de usinagem, antes que as peças sejam enviadas à linha de montagem. Também passam por este processo o virabrequim, bomba de água, bomba de óleo, biela e vareta de óleo.

    No caso do bloco do motor e o cabeçote de cilindros, o processo de usinagem traz ainda um sistema particular de rastreabilidade por meio dos TAGs, identificadores que armazenam os dados, que acompanha todo o processo de fabricação. Este conjunto de informações é armazenado num banco de dados e é acessível em qualquer momento da montagem, a partir do número de DMC da peça.

    A família EA 211 com motores de três cilindros começou a ser produzida no Brasil em 2013, a partir de investimento de R$ 335 milhões e estreou no novo Fox BlueMotion (leia aqui).