Volvo é a primeira a exportar da China para a Europa

Montadora envia lote do sedã S90 por meio de nova rota ferroviária

Por REDAÇÃO AB
  • 30/05/2017 - 16:59
  • | Atualizado há 2 months
  • um minuto de leitura
    A Volvo se torna nesta semana a primeira montadora a exportar veículos fabricados na China para a Europa. Isto porque a empresa enviou as primeiras unidades do S90, produzidos em sua planta de Daqing, por meio da recém-inaugurada linha ferroviária que liga o país asiático ao Velho Continente..

    Inicialmente, os trens sairão da Daqing uma vez por semana com planos de aumentar a frequência em linha com a demanda. Cada um dos trens dedicados transporta cerca de 120 carros, que têm como destino um centro de distribuição em Zeebrugge, na Bélgica. A chegada está prevista para esta quarta-feira, 31, na mesma semana em que o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, visita a Bélgica. Como parte de sua visita ao país, Keqiang também está programado para se encontrar com o presidente da Volvo Cars, Li Shufu, e com o CEO e chairman da empresa, Håkan Samuelsson.

    Segundo a Volvo, a via férrea reduz em até dois terços o tempo necessário para transportar os veículos se comparado com a rota naval. Desta forma, a nova conexão permite à montadora entregar mais rapidamente os veículos aos clientes após o pedido. O modal também permitirá uma menor emissão de CO2 em um terço, utilizando o padrão tonelada por quilômetro.

    A Volvo foi a primeira fabricante de automóveis da Europa Ocidental a exportar um carro premium da China para os Estados Unidos, em 2015, com o modelo S60. Em novembro do ano passado, a empresa começou a produzir a versão sedã do S90 em Daqing para exportações e em breve planeja fabricar toda a linha S90 na China, também destinados à exportação.

    A linha ferroviária é fruto do projeto Nova Rota da Seda, em alusão à antiga rota da seda realizada por via rodoviária nos primórdios do comércio entre Europa e o Oriente. Iniciada em 2013 pelo governo chinês, a iniciativa tem o objetivo de reforçar as relações comerciais do país, principalmente com a Europa Ocidental.