VW de São Carlos terá redução de jornada e salários

Metalúrgicos aprovaram adesão da fábrica de motores ao PPE

Por REDAÇÃO AB
  • 28/09/2015 - 22:00
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Os empregados da fábrica de motores da Volkswagen em São Carlos, no interior paulista, aprovaram em assembleia realizada no fim de semana a adesão ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE), celebrando acordo com a empresa para reduzir em 20% a jornada de trabalho e 10% os salários, a exemplo do que já aconteceu há 10 dias na planta Anchieta, em São Bernardo do Campo (leia aqui).

    A data do início do regime de trabalho com horário reduzido na unidade de São Carlos ainda não foi definida, mas terá duração de oito meses, prorrogáveis por mais oito. De acordo com as regras do PPE, durante este período a Volkswagen não poderá fazer demissões na fábrica sem justa causa. A empresa deixará de pagar 20% dos salários, mas a metade do valor da redução será bancada pelo governo com recursos do Fundo de Apoio ao Trabalhador (FAT), até o limite de R$ 900,84. A empresa se comprometeu em cobrir a diferença daqueles que excederem esse teto e também ficou acertado que a redução não incidirá sobre o décimo-terceiro salário e férias.

    O Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos informou que, na negociação com a fábrica para a adesão ao PPE, ficaram garantidos os termos do acordo celebrado com os trabalhadores da unidade em 2012, em que a empresa garante reajuste salarial real de 2,5% a partir de setembro deste ano e de 2,3% a partir de setembro de 2016.

    Além de São Carlos e Anchieta, a Volkswagen também deve anunciar a redução de jornada e salários sob as regras do PPE na fábrica de Taubaté (SP). Os termos do acordo serão apresentados aos funcionários na terça-feira, 29, mas a empresa já havia negociado com o sindicato local a adesão ao programa para colocar fim à greve na unidade em agosto passado.

    Cinco plantas de fabricantes de veículos já aderiram ao PPE: além das unidades de São Bernardo e São Carlos da Volkswagen, Ford e Mercedes-Benz vão reduzir jornada e salários em São Bernardo, e a fabricante de máquinas de construção Caterpillar também aderiu ao programa em Piracicaba (SP).