Yamaha lança MT-07 a partir de R$ 26.990

Novidade tem muita força em baixas rotações e opção com ABS por R$ 28.490

Por MÁRIO CURCIO, AB | De Piracicaba (SP)
  • 06/02/2015 - 10:30
  • | Atualizado há 2 months
  • 3 minutos de leitura
    A Yamaha começou a montar em Manaus a MT-07, nova moto de alta cilindrada que chega entre março e abril à rede com preço inicial de R$ 26.990. O valor passa a R$ 28.490 na versão com freios ABS. “Nos primeiros quatro meses esperamos entregar entre 350 e 400 unidades aos concessionários”, afirma o diretor comercial da Yamaha, Márcio Hegenberg, que espera um volume anual de 3 mil unidades. A novata surge como alternativa mais acessível à MT-09, lançada há cinco meses com preço inicial de R$ 35.990.

    Em 2014 a Yamaha obteve alta nas vendas: “Enquanto o mercado caiu 5,7%, crescemos 8,6%”, recorda Hegenberg. “Esperamos em 2015 crescer o mesmo do ano passado”, diz. A oferta maior de motos grandes também é uma forma de aproveitar o bom momento de modelos acima de 450 cc, que cresceram 11% em 2014 quando o mercado até 150 cc encolheu 6% e os modelos até 450 cc recuaram 4,5%, de acordo com dados dos fabricantes publicados no fim do ano passado.

    Segundo o executivo, ter modelos grandes também é uma estratégia global. “As motos de alta cilindrada têm um público exigente, que sempre procura novidades.” Além disso, a Yamaha precisa ampliar seu leque como forma de enfrentar a uma chuva de lançamentos da Honda de 500 cc ou mais e também de produtos BMW, Ducati, Kawasaki, Suzuki, Triumph e mais recentemente KTM, todos com montagem local e beneficiados pelo Processo Produtivo Básico (PPB), que permite baixo índice de nacionalização para motos com menor volume anual.

    A MT-07 tem 74,8 cavalos. Usa um motor de dois cilindros e 700 centímetros cúbicos (exatos 689 cc). Dentro da própria rede Yamaha ela tende a prejudicar as vendas da linha XJ6, com motor de quatro cilindros, cilindrada mais baixa (600 cc) e preço inicial mais alto, R$ 28.890. Segundo Hegenberg, na linha 2016 da XJ6 a Yamaha manterá apenas as versões com ABS, mas com preço um pouco mais baixo que o praticado hoje, R$ 31.990. Ele admite a possibilidade de a veterana sair de linha se os volumes de venda caírem por causa da novata. Em 2014 foram emplacadas 3,3 mil XJ6.


    Montada em Manaus, MT-07 tem desenho atual e motor de dois cilindros com 74,8 cv e muita força em baixas rotações. Bolha plástica sobre o farol será vendida como acessório. Painel digital traz até temperaturas do líquido de arrefecimento e do ar de admissão. Freios ABS encarecem o preço em 5,5%, mas versão básica também traz dois discos à frente e um traseiro.

    Montada em Manaus (AM) a partir de componentes importados, a MT-07 conta com índice de nacionalização tão baixo que a engenharia da Yamaha tem dificuldade de dizer o que é feito no Brasil além do radiador, reservatório de expansão e corrente de transmissão.

    A moto revela boa qualidade na pintura, em detalhes plásticos e metálicos. O tanque é feito de aço e utiliza protetores laterais plásticos que podem ser trocados, o que tende a reduzir o custo de reparo em caso de queda. O reservatório de gasolina comporta 14 litros.

    Completo, o painel digital traz indicadores marcha engatada, consumos médio e instantâneo, temperaturas do líquido de arrefecimento e do ar de admissão, hodômetros totalizador, parcial e também para autonomia restante, indicador Eco (nomia), que usa como parâmetros a rotação do motor, a posição da borboleta de aceleração, a velocidade da moto e a marcha engatada. De quebra traz relógio, marcador de combustível e conta-giros com indicação por barras entre 4 mil e 8 mil rpm.

    Assim como a MT-09, a nova moto terá uma grande linha de acessórios. Alguns deles serve para as duas. A Yamaha trouxe da Europa alforjes, protetores de radiador, sliders, suportes à prova d’água para smartphones e tomada de 12 volts, entre outros. “Se levar todos os itens o cliente gastará cerca de R$ 6 mil”, afirma o coordenador de venda de peças e acessórios, Fernando Gasques. Um desses componentes, uma pequena bolha plástica para instalar entre o farol e o painel, combina tão bem com a moto que poderia ser um item de série.

    DIFÍCIL É NÃO GOSTAR

    A força do motor em baixas rotações é um destaque da MT-07. São 6,9 kgf.m a 6 mil rotações por minuto. Cada acelerada mais forte é um coice. Embora a avaliação tenha ocorrido em um autódromo, o jeitão geral da moto mostra que ela é boa na estrada ou na cidade. Embora a Yamaha não divulgue números de desempenho, dá para esperar velocidade máxima por volta de 200 km/h e aceleração de zero a 100 km/h em cerca de quatro segundos.

    O câmbio tem seis marchas e engates precisos. A altura do assento (80,5 centímetros) facilita o uso por pessoas com 1,65 metro. O peso também ajuda. Segundo a Yamaha são 179 quilos na versão sem ABS e 182 kg com ele. As suspensões pareceram bem acertadas durante o teste. Os freios são eficientes e o piloto não terá dificuldade para dosar o uso do dianteiro e do traseiro nas versões com e sem ABS quando sair para o primeiro passeio.

    Bom mesmo é ter o sistema antitravamento, que eleva o preço da moto apenas em 5,5%. Com ou sem ele, a moto usa dois discos dianteiros de 28,2 cm de diâmetro e um traseiro de 24,5 cm. Em regra, quem compra uma dessas não está preocupado com o conforto do passageiro, mas bem que a MT-07 poderia ter alças de apoio para a garupa.