Yamaha mantém lançamentos a cada seis meses

Versão de entrada da Fazer 150 pode perder rodas de liga e/ou freio dianteiro a disco

Por MÁRIO CURCIO, AB | De Piracicaba (SP)
  • 06/02/2015 - 16:10
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura

    Quando lançou a Fazer 150 em setembro de 2013, a Yamaha esperava que a moto superasse em vendas a veterana Factor 125. No acumulado de 2014, porém, o modelo de menor cilindrada se manteve à frente. Durante entrevista ao diretor comercial da Yamaha, Márcio Hegenberg, Automotive Business perguntou se isso ocorreu porque ela está vendendo menos que o planejado ou porque estaria alavancando as vendas da Factor, mais acessível.

    “Um pouco desses dois fatores, mas o fato é que para ter volume maior será preciso ter uma (Fazer) 150 de entrada”, diz. Ele não revela detalhes sobre essa versão mais barata, mas ressalta: “Lembre-se de que prometemos um lançamento a cada seis meses”, afirma.

    Não será difícil baratear a Fazer 150 e isso pode ocorrer ainda este ano. Basta a Yamaha trocar suas rodas de liga leve por outras de aço e substituir o freio a disco dianteiro por um a tambor se for o caso. Essas mudanças já seriam suficientes para reduzir o preço de entrada de R$ 7.670 para cerca de R$ 7 mil e com isso aproximar seu valor da Honda CG 150 Start, com tabela de R$ 6.665.

    Automotive Business entrevistou o executivo da Yamaha durante o lançamento da MT-07, segunda moto de alta cilindrada lançada em cinco meses (veja aqui). Hegenberg falou sobre o momento das motos de alta cilindrada, que tiveram alta de 11% enquanto o mercado como um todo recuou 5,7%.

    “Ter lançamentos de alta cilindrada é uma estratégia global. Seus compradores são muito exigentes e sempre buscam novidades”, diz Hegenberg. No Brasil, com a ampliação da gama Honda, a maior penetração da BMW e com novas operações locais de outras fabricantes (a austríaca KTM é a mais recente), ter opções acima de 450 cc virou obrigação. A Yamaha MT-07 chega até abril com preço inicial de R$ 26.990 e entrará em conflito com outra Yamaha, a XJ6, com cilindrada mais baixa e preço inicial mais alto, R$ 28.890. A veterana terá a linha simplificada e novos preços, mas Hegenberg não descarta a saída de linha da XJ6 se a redução do volume de vendas não justificar sua permanência.