Yamaha trará T-Max 530, scooter de grande porte

Scooter é muito ágil e chega a cerca de 170 km/h

Por MÁRIO CURCIO, AB | De Mata de São João (BA)
  • 02/09/2013 - 18:06
  • | Atualizado há 2 months, 1 week
  • um minuto de leitura
    Durante a apresentação da YS 150 Fazer, a Yamaha mostrou também o modelo T-Max 530, um scooter grande com 46,5 cv de potência que virá do Japão. “Traremos 180 unidades até o fim do ano. Ele estará à venda a partir de dezembro por cerca de R$ 40 mil”, afirmou o diretor comercial da Yamaha, Márcio Hegenberg. As principais características dos scooters atuais são o escudo frontal, o apoio para os pés e a transmissão, quase sempre automática.

    Segundo o executivo, a empresa quer marcar posição nos segmentos em que ainda não atua no País. Sua concorrente Suzuki, por exemplo, vende aqui duas versões grandes do scooter Burgman, 400 e 650. A Yamaha tem um modelo com cilindrada de 250 centímetros cúbicos, o X-Max, mas não é possível trazê-lo ao Brasil com preço competitivo, segundo Hegenberg.

    A Dafra monta hoje no País um scooter com cilindrada intermediária, o Citycom 300, com preço sugerido de R$ 14.190. Foi o quarto mais vendido da categoria no acumulado até julho deste ano (1.570 emplacamentos). Os líderes nesse mesmo período foram Honda Lead 110 (7.518 unidades) e o Suzuki AN 125 Burgman (3.610), também feitos em Manaus. A Honda lançou em abril o PCX 150, cujo sucesso vem garantindo vendas mensais próximas a 1,5 mil unidades desde junho.

    A Yamaha está fora desse segmento desde março, quando repassou à rede as últimas unidades do Neo AT 115, um scooter com rodas grandes que fez relativo sucesso desde o lançamento, em 2004. Mas suas vendas caíram a partir de 2010 com a chegada de um produto Yamaha mais acessível, a Crypton 115, uma motoneta com apelo semelhante e transmissão semiautomática de quatro marchas.

    COMO ANDA O SCOOTER T-MAX

    Automotive Business avaliou o T-Max 530 e aprovou a novidade. O desempenho surpreende. O scooter chega muito rápido aos 120 km/h e sobra acelerador a essa velocidade. A máxima está em torno de 170 km/h. O ruído do escape é grave e bem empolgante. Embora o teste tenha sido curto, os freios pareceram eficientes. A versão avaliada tinha sistema antitravamento (ABS).

    O comportamento do T-Max em curvas é bom por causa de um chassi moderno e de suspensões bem acertadas. Um ponto desfavorável é a altura do assento. Pilotos com 1,70 metro têm de se apoiar nas pontas dos pés. E manobrar o scooter nessa condição não é fácil, já que ele pesa 221 quilos. Outro ponto negativo é o espaço pequeno sob o banco. Cabe ali um capacete ou uma mochila.