Automotive Business
  
News Mobility Now

Mobility Now

Ver mais notícias
Depois dos carros, Tesla quer revolucionar o mercado de energia

Estratégia | 29/04/2021 | 10h50

Depois dos carros, Tesla quer revolucionar o mercado de energia

Elon Musk, CEO da Tesla ambiciona mundo em que casas irão produzir, armazenar e até vender sua própria energia

REDAÇÃO AB



Nesta semana, a Tesla, fabricante de soluções tecnológicas, divulgou ao público seu relatório de performance do primeiro trimestre de 2021. Além do lucro recorde da empresa, o documento traz dois resultados importantes que explicam a nova estratégia do CEO Elon Musk para atacar e, se tudo der certo revolucionar o mercado de energia americano.

Em primeiro lugar, o relatório revelou que a demanda por soluções da empresa nessa área cresceram 71% no período em relação ao ano passado. Esse crescimento foi puxado principalmente pelas vendas da Powerwall, bateria doméstica que armazena energia da rede para uso em casos de apagão. O segundo resultado foi que as vendas de painéis solares para telhados cresceram nove vezes em relação ao ano passado, com 92 MW instalados no período, a melhor performance da área em dois anos e meio.

Somam-se a esses dois índices a recente mudança da Tesla de parar de vender as baterias Powerwall individualmente. Agora, elas apenas são comercializadas como parte de uma solução completa junto aos painéis solares. A ideia é que o cliente produza e armazene a própria energia, tornando-se menos dependente das redes distribuidoras, ficando menos suscetível às quedas na rede de transmissão e, até mesmo, gerando renda com a venda da energia excedente que produzir.

Se parece uma ideia meio maluca, é porque é. Mas Elon Musk assina embaixo. Ele até falou disso em um tweet:

Na segunda-feira, em uma conferência com os investidores para apresentar o relatório, o CEO defendeu que, se não for assim, não haverá como alimentar a demanda por energia elétrica nos EUA no futuro. Se o objetivo é diminuir as emissões de gases do efeito estufa, então não basta que as concessionárias utilizem fontes renováveis - é preciso aumentar as redes de transmissão também para conectar as áreas de geração de energia limpa com as regiões onde há demanda. Um estudo recente da Universidade de Princeton mostrou que a rede de transmissão dos EUA precisa ser triplicada para que o país chegue ao objetivo de zerar as emissões em 2050.

No modelo sonhado por Musk, cada domicílio seria capaz de produzir e armazenar sua energia, e até mesmo de vender o excedente para a rede. Tudo usando produtos da Tesla, é claro. É uma realidade ainda distante de acontecer, porque depende também de regulamentação, mas é a ideia que Musk defende. Será que estamos próximos de ter uma casa eletrizada sem precisar pagar conta?



Tags: Tesla, energia, mercado, estratégia.

Veja também

Mobility Now