Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 26/05/2011 | 19h50

Pimentel confirma redução de impostos

Medidas de incentivo à indústria devem sair no início do segundo semestre.

Redação AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Serão anunciadas no início do segundo semestre medidas de incentivo à indústria atualmente em gestação no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O ministro Fernando Pimentel confirmou que a nova Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do País deve incluir desoneração de bens de capital (máquinas e equipamentos) e a redução de impostos e encargos trabalhistas.

“Vai haver, sim, redução de encargos (trabalhistas) e tributos. Não posso dar um prazo, mas acredito que, na virada do primeiro para o segundo semestre, essas medidas serão anunciadas”, afirmou o ministro, após participar do seminário “Brasil do Diálogo, da Produção e do Emprego”, promovido pela Fiesp e centrais sindicais na capital paulista nesta quinta-feira, 26. “Estão em estudo, mas podem ter certeza de que serão tomadas medidas de curtíssimo prazo, como a redução de encargos e tributos, especialmente sobre a folha de pagamento, mas também sobre bens de capital e sobre investimentos”, completou.

Câmbio, juros e defesa comercial

Também está incluída entre as medidas em estudo pelo governo para proteger a produção industrial nacional o que o ministro chamou de “boa política de defesa comercial”, que envolve o combate mais ativo a práticas desleais de comércio internacional dentro das normas da Organização Mundial do Comércio (OMC). “As licenças não-automáticas de importação serão usadas nos setores em que há clara ameaça à balança comercial”, afirmou Pimentel.

O ministro reconheceu que a indústria de transformação é o segmento da economia mais afetado pelas condições externas, mas disse que o câmbio sobrevalorizado é uma equação sem solução no curto prazo. “Os Estados Unidos praticam política monetária claramente expansionista com efeitos perversos no mundo todo, sobretudo nas economias emergentes como o Brasil”, analisou. “Isso atinge de maneira dura as relações de troca no mundo inteiro. Não temos como escapar ou inventar outro cenário.”

Sobre juros, Pimentel disse que a taxa Selic ainda não pode ser reduzida: “A taxa não é movida pelo desejo da gente. É claro que todo mundo quer juros baixos, e eu tenho certeza de que inclusive o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, também quer”, afirmou. “Mas temos hoje uma conjuntura ainda com uma certa ameaça inflacionária, e a taxa de juros está refletindo este momento. Isso vai mudar e tenho certeza de que ao longo do segundo semestre vamos ter uma realidade melhor.”

Argentina

O ministro disse ainda estar confiante em relação às negociações com a Argentina para liberar produtos retidos na fronteira. “Espero que a gente chegue a um acordo de curto prazo, que possa liberar tanto os carros argentinos que estão na fronteira quanto os produtos brasileiros que estão parados na Argentina. Estou otimista quanto a isso. Acho que há uma boa vontade dos dois lados e vamos chegar a um bom acordo.”

Com informações da Agência Estado e Fiesp



Tags: Competitividade, MDIC, PDP, Fernando Pimentel, impostos, desoneração, Fiesp.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now