Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Política e Legislação | 26/07/2011 | 21h40

Mantega promete medidas contra concorrência desleal

Ministro reconhece que tributação atrapalha indústria e avalia que inflação está sob controle

Agência Estado

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Agência Estado

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo brasileiro deverá tomar novas medidas cambiais e comerciais para combater práticas desleais de concorrência e a desvalorização artificial de moedas estrangeiras. “Não vamos deixar a guerra cambial nos derrotar”, disse Mantega nesta terça-feira, 26, na abertura da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o chamado "Conselhão".

“A competição para a venda de manufaturados no mercado internacional está muito acirrada. Existe muita capacidade instalada ociosa no setor, o que leva países a adotarem práticas desleais de concorrência”, avaliou Mantega. Segundo o ministro, até mesmo os Estados Unidos têm sido usado para a triangulação de mercadorias punidas por dumping no Brasil. “As mercadorias mudam de etiqueta e vêm para o País, e talvez por isso os Estados Unidos tenham superávit comercial com Brasil”, afirmou. “O governo está olhando e vai tomar medidas importantes nesse campo”, garantiu.

Agenda tributária

Mantega reconheceu que o atual sistema tributário brasileiro atrapalha a produção no País. Para ele, a chamada agenda tributária é um dos maiores desafios do Brasil para os próximos anos. “Temos um sistema tributário antigo que atrapalha a produção. A carga tributária brasileira é alta e temos que continuar simplificando e desonerando a economia”, afirmou.

O ministro destacou a proposta de reforma que vem sendo tocada pelo governo, que passa principalmente pela redução e unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) interestadual e pela desoneração da folha de pagamento.

Mantega também citou como desafios para o futuro próximo a redução da pobreza, maiores avanços na educação e na ciência e tecnologia, além da necessidade de ampliação da infraestrutura do País. “Outra agenda prioritária é a da competitividade. Reduzindo custos de serviços e de infraestrutura poderemos enfrentar outros países em pé de igualdade”, completou.

Inflação

Para Mangega a inflação já está controlada no País, após o crescimento verificado no começo do ano. “Eu diria que esse problema está controlado. As commodities deixaram de pressionar a inflação nos últimos meses”, disse. O ministro também lembrou as medidas monetárias e macroprudenciais tomadas pelo governo, para reduzir a demanda e o crédito. “Significa que o governo não economizou esforços para deixar a inflação sob controle”, avaliou.

Mantega confia que a equipe econômica conseguirá manter a inflação dentro do limite superior da meta, que vai até 6,5%. “Desde 2005 temos cumprido as metas e em 2011 faremos isso mais uma vez”, afirmou. Ele porém não descartou a necessidade de novas medidas para controlar o aumento dos preços. “O combate à inflação é uma prioridade que será mantida e o governo continuará vigilante, tomando todas as ações necessárias”, adiantou, avaliando que a estratégia do governo, “embora implacável, não derrubou a economia”.

Foto: Antonio Cruz/ABr



Tags: Mantega, câmbio, inflação, indústria, impostos, política industrial.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now