Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Automóveis e Comerciais Leves | 28/08/2011 | 00h48

Conheça os novos planos de Gandini

No lançamento do Picanto ele falou de produtos e fábricas

Mário Curcio, AB

Mário Curcio, AB

Presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini é uma figura acessível e descontraída. No segundo dia de apresentação do Kia Picanto 2012, ele “chegou chegando” com um Kia Cadenza preto. As três letras GAN nas placas não deixavam dúvida de quem era o carrão. Gandini falou bastante a Automotive Business sobre o crescimento da Kia no Brasil e do comportamento do mercado brasileiro.

“Acredito que o dólar entre R$ 1,60 e R$ 1,70 é bom para todo o mundo”, disse, referindo-se tanto aos fabricantes locais como importadores. “O grande vilão são as alíquotas. Cobrar 35% de nós e nada de quem traz do México não faz sentido”, reclama. “Mas acho que o mercado de importados deve crescer ainda mais no Brasil.” Sobre as incertezas atuais da economia, ele se mostra tranquilo: “Não acredito que o mercado seja afetado; tem muito investimento entrando no País.”

A ideia de uma fábrica da Kia no Brasil continua descartada, apesar dos recentes anúncios de montadoras chinesas: “Quem decide isso não sou eu, são eles (os sul-coreanos), e eles optaram por fazer aqui uma fábrica da Hyundai.” Gandini descarta a possibilidade de saírem Kias da unidade piracicabana da Hyundai. Nos EUA, contudo, a fábrica da Kia em West Point, Georgia, monta o Kia Sorento e o Hyundai Santa Fe.

O empresário quer muito vender o Kia Rio aqui: “Quando vier será flex, mas esse motor (1.4) ainda não está desenvolvido. Queremos trazer no ano que vem. Ele vai brigar com o i30.” Sobre o Rio, Gandini revela que homologou a versão a gasolina, mas o trabalho “foi perdido”, pois o carro só virá mesmo como bicombustível.

Sobre a não-importação do Cerato hatch, ele justifica: “Para trazer o carro eu teria de reduzir minha quota do sedã, que já é menor que a demanda, por isso eu ainda não importei.” Em 2012, contudo, o modelo deve chegar.

No que se refere às vendas do Picanto 2012, ele detalha: “Chegaram três navios, com um total de 1.550 carros. Os primeiros que desembarcaram são todos verdes e têm câmbio automático de quatro marchas. O segundo lote é prata e manual.” Sobre o volume previsto para 2012 (18 mil unidades), ele revela: “Foi o que garantiram para nós. Se tivesse mais, venderíamos”, acredita.

Antes de apresentar o Picanto 2012, Gandini exibiu vários números da Fenabrave que ressaltam o crescimento recente da Kia no Brasil. Na comparação entre o período janeiro-junho de 2010 com 2011 a Kia teve alta de 72,6%. “A Hyundai cresceu só 7,4%, menos que o mercado (8,2%). Tem alguma coisa errada...”

Gandini fala do merchandising nas novelas da Rede Globo: “O Picanto vai aparecer logo mais na "Fina Estampa", das 21 horas.” O marketing da Kia revela que o carro será usado pela personagem Maria Amália (Sophie Charlotte), filha de Griselda (Lilia Cabral). Nesse momento, uma jornalista indaga: “Ué, mas a menina não é pobre?”

Uma representante do marketing explica: “Ela vai ficar rica logo mais, haverá uma virada na trama.” Nesse momento Gandini esclarece: “Por causa do merchandising a gente fica sabendo antes de coisas que vão acontecer. Quando o Tarcísio Meira bateu o carro na novela anterior, eu tentei colocar um dos nossos no lugar e me disseram: 'Não vai dar, o personagem dele (Teodoro Amaral) vai morrer logo mais'.”



Tags: José Luiz Gandini, Kia, Picanto, Cadenza, Picanto, alíquota, Hyundai, Fina Estampa, Maria Amália, Sophie Charlotte, Lilia Cabral.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now