Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Powertrain | 28/11/2011 | 18h44

Para a Honeywell, 2012 deve repetir resultado de 2011

Diretor geral alerta para possível recuo, se economia não avançar

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Paulo Ricardo Braga, AB

José Rubens Vicari, diretor geral da Honeywell Turbo Technologies (foto), fabricante de turbos Garrett, acredita que em 2012 a empresa poderá repetir os resultados de 2011, quando houve um crescimento de 12% nas vendas. Se a economia brasileira fraquejar, especialmente por influência das dificuldades na Europa, ele afirma estar preparado para enfrentar uma redução de até 8%, em volume.

Vicari afirma que as dificuldades no próximo ano começarão no primeiro trimestre, com férias coletivas em janeiro e baixo volume de encomendas depois da mudança na legislação de emissões.

O segmento OEM (10% no exterior) representa 60% da produção da Honeywell, de 250 mil turbos em 2011, e concentra-se em aplicações diesel. Os outros 40% vão para a reposição, metade para o mercado interno e metade para exportações.

Novos projetos

Vicari assegura que a filial brasileira está pronta para atender os projetos locais visando ao lançamento de motores alimentados por turbo, em veículos leves ou comerciais a diesel. A gama de produtos Garret envolve microturbos, para motores com capacidade abaixo de 1,0 litro, e soluções utilizadas em propulsores das demais capacidades envolvidos em projetos globais de downsizing .

Como regra geral, os projetos de turbos disponíveis no exterior devem ser adequados ao uso na região, seja para ajustes ao combustível ou a diferenças de altitude, exigindo produtos mais robustos. Assim como a BorgWarner, a Honeywell acredita que a modernização dos motores Otto brasileiros, com a introdução de plataformas globais e downsizing, começará a se concretizar em três a quatro anos, abrindo novas oportunidades para os fabricantes locais de turbos.

Christian Streck, gerente de engenharia, informa que os microturbos atendem motores de dois ou três cilindros e capacidade cúbica até 1.0 litro, adequados aos carros pequenos de mercados emergentes. O objetivo, nesse caso, é otimizar o uso de combustível, reduzir emissões e garantir melhor dirigibilidade dos veículos.

Criada pela Honeywell, a geometria variável para as pás de rotores promete padrões de eficiência elevados no esforço para menor consumo de combustível e controle de emissões de CO2. "O turbo VNT de última geração proporciona desempenho expressivo dos motores em qualquer regime de rotação e redução de peso", assegura Streck.

O engenheiro destaca também o sistema de dois estágios, combinando turbo pequeno de alta pressão e outro maior, paralelamente. Há também rotores de compressor de dupla face e um estágio da turbina, capazes de proporcionar desempenho de um turbo de dois estágios, e o VNT DutyDrive, de geometria variável, para os segmentos de veículos comerciais médios e pesados, em sistemas de recirculação dos gases de escape (EGR).



Tags: Honeywell, Garrett, turbos, downsizing, EGR, motores.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now