Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 11/05/2012 | 17h04

Elring Klinger quer crescer 15% ao ano no Brasil

Companhia quer ampliar presença em reposição

GIOVANNA RIATO, AB

A fabricante de autopeças Elring Klinger mantém metas ambiciosas de crescimento para o Brasil mesmo diante da retração do mercado. A companhia tem em curso um investimento de R$ 100 milhões até 2016 na construção de uma nova estrutura no complexo industrial de Piracicaba (SP). O aporte dará conta de sustentar o plano da empresa de crescer 15% ao ano no Brasil.

A intenção é que a fábrica evolua na mesma proporção dos negócios no País. Atualmente a planta tem capacidade anual para produzir 16 milhões de juntas automotivas, 8 milhões de chapas defletoras e 1 milhão de tampas plásticas para comando de válvulas de motor. Estes números vão chegar a 18 milhões, 13 milhões e 2,3 milhões, respectivamente.

Enquanto a produção de veículos esfriou 10,1% entre janeiro e abril deste ano, para 998,9 mil unidades, a planta da Elring Klinger no interior de São Paulo trabalha em três turnos. O clima de incerteza diante da situação econômica internacional e das ações do governo para aquecer a economia interna parece não contagiar o diretor-presidente da organização, Hans Eckert. Para o executivo alemão, o período de queda não vai se estender. “Não há como frear o crescimento do País”, acredita.

PRODUÇÃO ACELERADA

A principal estratégia para manter a fábrica em plena operação é atuar em várias frentes. A empresa fornece para os segmentos de leves e pesados e trabalha para ampliar os negócios no mercado de reposição com a marca Elring, criada há três anos. “Nossa expectativa é crescer até 40% por ano nesse segmento”, determina. O executivo pretende ampliar a cobertura, atualmente concentrada nas regiões Sul e Sudeste, para todo o País.

Eckert diz ter registrado decréscimo nos pedidos das montadoras de veículos comerciais. A diminuição, no entanto, não teve impacto expressivo sobre o faturamento da companhia já que o segmento responde por apenas 7% dos negócios. Por enquanto a empresa não percebeu redução das encomendas de fabricantes de automóveis e comerciais leves.

A companhia comemora ainda uma conquista global realizada pela operação brasileira: o contrato de fornecimento para a Toyota. A fabricante japonesa, que exige patamares elevados de qualidade, é a única montadora global com quem a Elring Klinger não mantinha parceria em nenhum País. “Essa conquista feita no Brasil pode facilitar acordos para outras operações”, aponta.

REGIME AUTOMOTIVO

Eckert está otimista com o novo regime automotivo, anunciado pelo governo no início de abril. Para ele, exigir a ampliação do conteúdo local vai estimular os fornecedores a produzirem mais tecnologia no País. “Outra evolução são as novas condições de financiamento para caminhões e ônibus”, aponta, referindo-se ao PSI 4, divulgado na mesma ocasião como parte do plano Brasil Maior de estímulo à indústria.

Elring Klinger



Tags: Elring Klinger, autopeças, fornecedor, investimento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now