Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 11/06/2012 | 15h16

Queda nas vendas de veículos importados fica mais acentuada

Abeiva registrou tombo de 16,3%

GIOVANNA RIATO, AB

As vendas de veículos importados diminuíram 16,3% entre janeiro e maio na comparação com o mesmo período do ano passado, para 59,7 mil unidades. A informação é da Abeiva, associação que reúne os importadores sem fábrica no Brasil. A queda ficou mais acentuada em maio, quando houve redução de 35,6% na comparação anual e alta de 4% na mensal, com 12,3 mil emplacamentos.

A retração das vendas dos importadores independentes é significativamente maior do que a registrada no mercado total, que esfriou 4,4% nos primeiros cinco meses do ano. Diante disso, os associados da entidade perderam 0,6 ponto porcentual de participação em relação ao mesmo período do ano passado e responderam por 4,6% do total comercializado no País.

Comunicado distribuído pela entidade aponta que a queda foi motivada pelo aumento de 30 pontos porcentuais no IPI de carros produzidos fora do Mercosul e do México. Outro fator que influenciou o setor foi a alta do dólar no período. Nem mesmo o desconto no IPI anunciado recentemente pelo governo (leia aqui) será capaz de segurar o tombo das vendas do setor. Na visão da entidade, a medida só beneficia as empresas que produzem no Brasil. Com o incentivo, a menor alíquota para carros importados passou a ser de 30%, no caso de modelos 1.0, ainda bastante elevada.

A organização projeta aprofundamento da queda nas vendas nos próximos meses. Os estoques de veículos importados sem o adicional de 30 pontos porcentuais no imposto estão próximos do fim. Com isso, o repasse da alíquota majorada nos preços será inevitável. O movimento deve desestimular ainda mais as vendas.

No início do ano, a entidade divulgou expectativa de retração de 40% nas vendas de seus associados em 2012 em relação ao ano passado, para cerca de 119,5 mil carros. Até agora a organização não divulgou novas projeções. A Abeiva mostra preocupação com os empregos gerados no setor, que chegam a 35 mil em uma rede de 882 concessionárias.

COTAS

Mesmo com o anúncio do desconto no IPI para todos os carros vendidos no País, o mês de maio frustrou a expectativa da Abeiva. A entidade aguardava o anúncio de um incentivo específico para o setor: a criação de cotas de importação. Segundo a associação, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, tinha se comprometido a anunciar o incentivo até o fim do mês passado.

A organização pede a medida ao governo desde que o IPI gordo foi anunciado, em setembro de 2011. A intenção é que seja determinado um volume, em torno de 200 mil unidades, que possa ser trazido do exterior sem o adicional do IPI. Dessa forma, a governo manteria as importações sob controle sem comprometer o negócio das empresas do setor.



Tags: veículo, importador, Abeiva, venda, IPI gordo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now