Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 05/09/2012 | 15h13

Volvo Cars: lucro e vendas despencam com crise na Europa

Resultado não altera planos de crescimento, diz presidente Stefan Jacoby

REDAÇÃO AB

A Volvo Cars, que pertence à Zhejiang Geely da China, apurou queda de 4,1% nas vendas globais no primeiro semestre com relação ao mesmo período do ano passado, para 221,3 mil veículos, informa a empresa em relatório divulgado nesta quarta-feira, 5. O lucro operacional despencou 84% na mesma base de comparação, para US$ 35,6 milhões, e o lucro líquido caiu 79%, para US$ 37,8 milhões. Nos dados mais atualizados, de janeiro a agosto, a queda das vendas foi de 5,2%,

Vendida para a Geely pela Ford há exatamente dois anos, em agosto de 2010 por US$ 1,8 bilhão, a Volvo atribui os resultados à crise da Zona do Euro. Na Europa, as vendas da montadora sueca recuaram 6,5%, para 6,7 mil unidades vendidas no primeiro semestre.

"Os mercados não estão como pensávamos. A crise no sul da Europa está se espalhando para o norte", disse o presidente-executivo da Volvo Cars, Stefan Jacoby, que reclamou que o mercado automotivo nunca esteve tão imprevisível. Nos dados mais recentes de mercado, as vendas de janeiro a agosto recuaram 5,2% na Europa, com pior impacto sobre a região sul e na Suécia. Jacoby confirmou que a montadora cortará a produção na fábrica no oeste da Suécia de 57 para 50 veículos por hora e não renovará o contrato de 285 temporários.

Apesar do resultado negativo puxado pela Europa, a Volvo manteve os planos de crescimento e planeja dobrar as vendas para 800 mil unidades anuais até 2020, considerando o rápido crescimento na China, onde planeja construir duas fábricas. No país, a Volvo registrou crescimento de 6,8%, para 6,4 mil unidades, uma diferença de apenas 277 unidades com relação às vendas da Europa. Nos Estados Unidos, os negócios também recuperaram fôlego com elevação de 13,7%, para 7,2 mil unidades.

"Nosso plano de investimento tem financiamento garantido", afirmou. O ponto alto é 2015, quando já estará fabricando na China: a meta é vender 200 mil carros por ano na país, ante os 47 mil de 2011.

O presidente confirmou que a Volvo está analisando fabricar um carro compacto com outra montadora e que estuda opções para se fazer presente na Nafta, bloco econômico de livre comércio entre Canadá, Estados Unidos e México, mas ressaltou que nada está definido ainda.



Tags: Volvo, carros, Geely, lucro, Zona do Euro, crise.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

Mobility Now

ABTV

Mobility Now