Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Comerciais | 07/01/2013 | 20h21

Vendas de caminhões recuam 19,5% em 2012

Nova lei de emissões, novo diesel e desaceleração da economia prejudicam desempenho

SUELI REIS, AB

O segmento de veículos comerciais pesados que engloba caminhões e ônibus sofreu forte retração nas vendas de 2012, conforme dados da Anfavea divulgados na segunda-feira, 7. A queda nas entregas de caminhões, que já era esperada pela entidade, atingiu 19,5% em 2012 na comparação com o ano anterior, para 139,1 mil unidades, enquanto as vendas de ônibus recuaram 16,8%, para 28,8 mil chassis.

Já no comparativo mensal, houve estabilidade, resultando em vendas de 12,6 mil caminhões em dezembro, mesmo volume de novembro. Apesar do crescimento zero, a média diária de vendas subiu 5,2% em dezembro, isso porque novembro teve um dia útil a mais. Em ônibus, as vendas de dezembro contra novembro cresceram expressivos 38,3%, para pouco mais de 2,8 mil unidades.

O primeiro vice-presidente da Anfavea, Luiz Moan, que conduziu o primeiro encontro do ano entre a entidade e a imprensa, lembrou o cenário difícil para caminhões em 2012, com a entrada da nova lei de emissões, o Proconve P7, que exigiu novas tecnologias nos veículos, o que encareceu seus preços em até 15%. Além disso, as incertezas quanto ao abastecimento do diesel S-50 no início do ano passado e o arrefecimento da economia causaram efeitos negativos para o mercado de caminhões.

As vendas do segmento só retomaram no fim de setembro, quando passou a vigorar a nova taxa de juros do Finame PSI, que passou de 5,5% ao ano para 2,5% a.a., índice altamente competitivo e fez com que o mercado reagisse. Segundo Moan, a manutenção de taxa menor para 2013, anunciadas pelo governo em dezembro, de 3% a.a. no primeiro semestre e de 4% a.a. no segundo, devem garantir ritmo mais acelerado nas vendas.

“Com a prorrogação do PSI projetamos um ano melhor para veículos comerciais pesados, com crescimento entre 6% e 7% em 2013”, disse. Ele adiantou que em 2014 a entidade prevê um forte ano de licenciamento para caminhões. Outro impulso para o segmento deve ser a prorrogação da depreciação acelerada (que terminou em 31 de dezembro). O pleito já foi apresentado pela entidade ao governo e deve ser regulamentado ainda este mês, informou.

Nos moldes do mercado nacional, as vendas ao exterior recuaram 15,5% em 2012, para 22,8 mil caminhões, enquanto que os embarques de ônibus subiram 9,6% no ano, para 8,4 mil unidades.

As quedas acentuadas no mercado de caminhões, tanto no mercado interno quanto externo reduziram significativamente o ritmo das linhas, fechando 2012 com queda de 40,5% da produção sobre 2011. As fábricas entregaram 132,8 mil caminhões durante o ano passado, enquanto que no ano anterior esse volume chegou a 223,3 mil. As linhas de montagem de ônibus também desaceleraram em 2012, com 36,8 mil chassis, retração de 25,4%.

-Clique aqui para fazer download dos dados da Anfavea.



Tags: Anfavea, caminhões, ônibus, comerciais pesados, Luiz Moan, produção, exportações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now