Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 25/06/2013 | 17h18

Agrale comemora produção de 100 mil veículos

Empresa começou em 1962 fazendo microtratores

REDAÇÃO AB

A Agrale comemora a produção de 100 mil veículos. A empresa brasileira fabrica caminhões, chassis para ônibus, utilitários, tratores e motores diesel. A centésima milésima unidade é um chassi MA 10.0 para micro-ônibus. Foi adquirido por um empresário do setor de transportes do Rio Grande do Sul.

“Para uma empresa como a nossa, nacional, que começou a fabricar veículos modestamente, a marca de 100 mil unidades é muito emblemática. Do TX 1100 (primeiro caminhão a ser fabricado pela Agrale, em 1982) ao chassi de número 100 mil percebe-se que o sonho do líder visionário da Agrale, Francisco Stedile, se tornou realidade”, afirma o diretor-presidente da empresa, Hugo Zattera.

“Foi uma grata surpresa ter sido o comprador do chassi 100 mil, é motivo de orgulho para mim, que aposto na Agrale há 30 anos e adquiri o primeiro chassi de micro-ônibus da empresa. Atualmente, temos uma frota de 46 veículos Agrale e neles percebemos duas grandes características: baixo custo de manutenção e durabilidade”, afirma o empresário Magnus Isse.

BREVE HISTÓRIA DA COMPANHIA

A Agrale começou em 1962, produzindo microtratores de duas rodas. Vinte anos mais tarde lançou os primeiros caminhões da marca. Em 1996 passou a fabricar os chassis de ônibus, seguidos pelos utilitários Agrale Marruá, em 2004. Hoje, a Agrale tem quatro parques industriais, três em Caxias do Sul (RS) e um em Mercedes, Província de Buenos Aires, na Argentina.



Tags: Agrale, tratores, chassis, micro-ônibus, Hugo Zattera, Francisco Stedile, Cagiva, Magnus Isse, Marruá, Mercedes, Buenos Aires.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now