Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 10/07/2013 | 18h35

Vendas globais da PSA encolhem 1,1% no semestre

Resultado só não foi pior por causa de bom desempenho na China e na América Latina

REDAÇÃO AB

A PSA Peugeot Citroën vendeu 1,4 milhão de veículos em todo mundo no primeiro semestre deste ano, 1,1% a menos do que no mesmo período do ano passado. Em comunicado, o grupo diz que resultados negativos da deprimida Europa impactaram o desempenho, que só não foi pior por causa de vendas recordes na China e do bom desempenho na América Latina com a chegada de novos modelos, como os Peugeot 208, 301 e 2008 e os Citroën DS3 Cabrio e o C-Elysée. Do total comercializado pelo grupo de janeiro a junho, 808 mil foram da marca Peugeot e 653 mil da Citroën.

NOVOS MODELOS

Dentre os novos modelos lançados, o Peugeot 208 foi um dos que mais de destacou no semestre. Foram vendidas mais de 400 mil unidades do carro produzido na Europa e no Brasil. O 2008 também surpreendeu com mais de 29 mil unidades entregues. Outro recém-lançado, o Peugeot 301 teve 42 mil unidades vendidas.

Da Citroën, impulsionaram as vendas os novos Citroën C-Elysée, com 29 mil unidades entregues, o C4 Picasso, que tem mais de 8 mil encomendas, e a linha premium DS, com mais de 360 mil unidades comercializadas.

EUROPA

Na Europa, onde o mercado de automóveis e comerciais leves apresentou declínio de 7%, a PSA vendeu 855 mil unidades, volume 13% menor que o do primeiro semestre de 2012. A participação do grupo no continente chegou a 12,2%, contra 12,9% no mesmo intervalo de 2012. A Citroën foi responsável por vender cerca de 400 mil unidades de janeiro a junho deste ano e a Peugeot, mais de 450 mil.

O grupo PSA salientou que tem maior participação nos países europeus mais afetados pela crise econômica: França (onde o mercado de veículos caiu 11%), Itália (com queda de 11%) e Espanha (declínio de 5%).

Outro fator que contribuiu para o fraco desempenho foi a contração de 7% no mercado de comerciais leves europeu, segmento em que o grupo consolidou sua liderança, com participação de 21,1%.

Mas graças às fortes vendas de seus quatro modelos equipados com a tecnologia HYbrid4 ( Peugeot 508, 508 RXH, 3008 e o Citroën DS5), a PSA Peugeot Citroën manteve sua posição como principal fabricante da Europa de veículos híbridos e sua classificação de segundo lugar em termos de vendas, com participação de 16,11% do mercado híbrido europeu.

AMÉRICA LATINA

A indústria latino americana de veículos seguiu em ascensão no primeiro semestre do ano, com alta de 6% sobre o mesmo período do ano anterior, e o desempenho da PSA não foi diferente. O grupo cresceu 20% na mesma base de comparação com vendas totais de mais de 146 mil unidades na região (mais de 58 mil da Citroën e mais de 86 mil da Peugeot).

O grupo superou o desempenho do mercado na Argentina (com alta 30%), no Chile (35%) e no México (32%). Também se destacou no Brasil, com 57,2 mil unidades vendidas (25,8 mil da Peugeot e 31,4 mil da Citroën). Dessas, 7,5 mil unidades foram do Peugeot 208, veículo produzido no País desde abril. Para o segundo semestre, o grupo promete o lançamento do sedã Citroën C4 Lounge no Brasil.

CHINA

Na China, o desempenho da PSA foi recorde. O grupo diz que está crescendo duas vezes mais rápido do que o mercado chinês. Somente de janeiro a junho, vendeu 278 mil unidades (139,8 mil da Peugeot e 138 mil da Citroën), um aumento de 33% em um mercado que cresceu 16%. Atualmente, o grupo detém 4% do mercado chinês.

O Peugeot 3008 tem ganhado popularidade no país, com mais de 25 mil unidades vendidas em seis meses. O Citroën C4L, por sua vez, gerou mais de 20 mil unidades faturadas no período de seis meses.

No segundo semestre de 2013, a DPCA, joint venture firmada pela PSA Peugeot Citroën com a chinesa Dongfeng, lançará dois novos modelos no mercado local, o Citroën C-Elysée e o Peugeot 301, ambos produzidos na fábrica de Wuhan, inaugurada no dia 2 de julho. A fábrica aumentará a capacidade de produção da joint venture a longo prazo para 750 mil unidades por ano.

Além disso, a joint venture com a Changan começará a produção local do Citroën DS5 no segundo semestre de 2013 na unidade de Shenzhen, que vai oferecer a capacidade de 200 mil veículos por ano em pleno funcionamento.

RÚSSIA

Na Rússia, a PSA teve um início de ano difícil. As vendas do grupo caíram 22%, para 32 mil unidades nos primeiros seis meses do ano. Mesmo com este cenário, a PSA lançou quatro novos modelos no mercado no período: os Citroën C4 sedã e C-Elysée, e os Peugeot 208 e 301. O grupo acredita que esses veículos começaram a conquistar espaço na Rússia a partir do segundo semestre.

RESTO DO MUNDO

Nos demais países, a PSA anotou crescimento de 23%, puxada pelo sucesso do Peugeot 301 e do Citroën C-Elysée. Na Argélia, por exemplo, as vendas aumentaram mais de 66%, para 58, 4 mil unidades, elevando a quota de mercado da PSA Peugeot Citroën para 22,8%. Na Turquia, o grupo vendeu mais de 30,1 mil veículos, um aumento de mais de 20% em comparação com o primeiro semestre de 2012, em um mercado que cresceu 11,5%.

SEGUNDO SEMESTRE

A PSA Peugeot Citroën promete lançar 17 veículos no segundo semestre de 2013, dos quais nove na Europa (dentre eles o Peugeot 308 e o novo C4 Picasso de sete lugares) e oito no resto do mundo.

Também serão apresentados a nova versão turbo do motor EB, que já teve mais de 200 mil unidades produzidas na fábrica de Trémery, na França, bem como o sistema de exaustão que permitirá os veículos diesel do grupo atenderem às normas de emissões do Euro 6, que entrarão em vigor no final de 2014.



Tags: PSA, Peugeot, Citroën, vendas, veículos, automóveis, comerciais leves, Europa, China.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now