Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Chery realiza desejo de vender o carro mais barato do Brasil
QQ representará 50% das vendas da marca este ano no Brasil

Mercado | 04/09/2013 | 19h42

Chery realiza desejo de vender o carro mais barato do Brasil

Montadora chinesa oferece QQ em lote limitado de 600 unidades por R$ 19.990

SUELI REIS, AB

Desde que ingressou no mercado brasileiro, em 2009, a Chery mantém um desejo ambicioso: oferecer um veículo abaixo de R$ 20 mil. Encontrou a oportunidade: após anunciar que o novo QQ, apresentado durante o Salão de Xangai em abril deste ano, também seria produzido no Brasil, a montadora de origem chinesa comemora a confirmação da produção do modelo em sua fábrica que está sendo erguida em Jacareí (SP) com um novo lote de 600 unidades pelo preço de R$ 19.990.

Segundo o CEO e vice-presidente da Chery no Brasil, Luis Curi, o desconto de R$ 4 mil no preço original – R$ 23.990 – dá ao QQ o título de carro mais barato vendido no País. De série, assim como os outros modelos da marca, o compacto vem equipado com itens como airbag, ar-condicionado e freios ABS.

“Com o fim dos trâmites para a confirmação da produção do QQ em Jacareí, consideramos que essa era a hora de fazer este ensaio de preço. Pelo menos nos últimos dez anos, não houve veículo zero quilômetro completo por este valor”, afirma Curi.

O modelo a R$ 19.990 é o mesmo que vem sendo vendido por aqui desde seu lançamento, em abril de 2011, que estreou pelo preço de R$ 22.990, na época, também o mais barato entre todos os automóveis disponíveis no mercado. A nova geração do QQ, apresentada ao mundo em abril deste ano no Salão de Xangai (leia aqui) só chega no mercado brasileiro em 2014, ainda importado da China. Sua produção local só deve começar na segunda fase da fábrica de Jacareí, em 2015. A primeira fase, que marcará o início de suas operações, está prevista para o primeiro trimestre de 2014, com a produção das versões hatch e sedã do Celer.

FÔLEGO PARA O MERCADO

Habilitada como investidora no Inovar-Auto, a Chery usufrui de uma cota que representa 25% da produção prometida para sua fábrica, de 150 mil unidades por ano. O volume de 37,5 mil unidades que a marca pode importar ao Brasil sem a sobretaxação dos 30 pontos porcentuais do IPI é mais que suficiente para alcançar o volume de vendas previsto pela marca para 2013, de 20 mil unidades.

“A cota é essencial para conseguimos atender esse volume enquanto a produção local não inicia. Mas devemos considerar que além do QQ, que sozinho representará 50% das vendas deste ano, o Tiggo, cuja nova geração lançamos há pouco mais de dois meses, também tem importante participação nesse volume e ele vem de nossa linha de montagem no Uruguai”, completa.

De acordo com as expectativas da montadora, o SUV deve representar 25% das vendas totais deste ano. Além do QQ e Tiggo, a Chery participa do mercado com os modelos Face, S18 e Cielo, nas versões hatch e sedã.



Tags: Chery, QQ, Luis Curi, fábrica, Jacareí.

Comentários

  • Osvaldo Monte negro

    Precisa ficar registrado a verdade sobre esta promoção são carros encalhados ano e modelo 2012, e ainda no revendedor tem que pagar mais 1.500 a 2.000 de frete, sabemos que isto é sobra pois esta empresa não consegue vender mais nada no Brasil devido a tudo que ela fez e faz ao longo destes anos, falta de peças, carros cheios de defeitos, não responde ao consumidor e ainda mente descaradamente como neste carro é simples saber a verdade, pergunte o porque parou de vender 0 S-18 digo por entortar o pedal de freio e assim por diante pergunte para ela dizer quanto vendia no mesmo período do ano passado e agora. e se ainda assim tiver duvida visita o reclame aqui ai meus amigos e amigas irão levar um grande susto o que é esta empresinha.

  • Caetano afonso de albuquerque

    Concordo com o comentário do Sr. Osvaldo eu já cai nesta arapuca apesar de ler sempre vários consumidores metendo o pau na marca e nos carros, comprei o tal de Novo TIGGO tem 40 dias que estou com o carro realmente é uma bomba, bate tudo, nada funciona, não tem revendedor e o pior a fabrica não esta nem ai, para os Srs. terem uma ideia a caixa de direção travou a sorte que eu estava manobrando na garagem imagine se fosse na rua ou em uma estrada, paguei 57 mil reais e coloquei a venda ontem por 25 deixei em uma loja de automóveis aqui no Rio de janeiro pois o revendedor que comprei me disse que não pagava mais do que 30 mil ai preferi jogar fora a Bomba, CHERY E CHINES NUNCA MAIS NA VIDA...

  • MARCIO PAIVA

    Comprei um Face e gostaria de informações, de quando a fabrica começa a produzir no Brasil e se o FACE vai sair de linha.

  • Eduardo D

    SOU PROPRIETÁRIO DE UM MODELO S 18 DA CHERY...FIQUEI MUITO TRISTE QUANDO SURGIU A NOTICIA DE QUE AS IMPORTAÇÕES FORAM SUSPENSAS POIS AO MEU VER ...O MODELO É SENSACIONAL .....NÃO TENHO QUEIXAS .......GOSTARIA MUITO DE QUE CONTINUASSEM A VENDÊ-LO POIS CERTAMENTE CAIRIA AOS POUCOS NO GOSTO DO BRASILEIRO ....... AINDA ACREDITO QUE AS IMPORTAÇÕES POSSAM SER REINICIADAS ......... UM ABRAÇO A TODOS QUE CURTEM A MARCA CHERY ....COM CERTEZA ANOS LUZ NA FRENTE DE MUITOS NACIONAIS ...... TORÇO PARA A RETOMADA DO S 18 NO BRASIL ......TOMARA QUE A CHERY MUDE DE ESTRATÉGIAS !!!! FIQUEM EM PAZ !!!.......

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now