Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 05/06/2014 | 15h45

Máquinas: queda nas vendas está próxima de 20%

Setor aguarda entrada do Moderfrota para 2º semestre melhor que o 1º

MÁRIO CURCIO, AB

A venda de máquinas agrícolas em maio somou 6,15 mil unidades, registrando leve alta de 1,4% sobre abril. No acumulado do ano, as 27,12 mil unidades vendidas resultam em queda de 19,7% ante os mesmos meses de 2013. Os números foram divulgados na quinta-feira, 5, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O acumulado ainda reflete os maus resultados do início do semestre, consequência da demora pela definição da taxa do Finame PSI. Nos próximos meses, os fabricantes acreditam em recuperação por causa da chegada do Moderfrota como linha de crédito dedicada a equipamentos agrícolas.

“O segundo semestre será melhor que o primeiro (...) O Moderfrota substituirá o PSI como principal linha de crédito para compra de máquinas”, afirma o diretor de relações institucionais da CNH industrial, Milton Rego, citando o programa de modernização da frota de equipamentos agrícolas para financiar a compra, isolada ou associada a investimento, de tratores, colheitadeiras, plataformas de corte, pulverizadores, plantadeiras e semeadoras.

Milton Rego ressalta que o Conselho Monetário ainda não regulamentou o programa e que é importante que o Moderfrota comece a ser utilizado de maneira gradativa no segundo semestre. Ainda de acordo com o executivo, os entendimentos com o governo vêm sendo feitos para que a transição do Finame PSI para o Moderfrota não resulte em um intervalo ou momento de indefinição que comprometa as vendas de todo o setor.

PRODUÇÃO E EXPORTAÇÕES

A fabricação de máquinas agrícolas em maio atingiu 7,6 mil unidades, registrando alta de 8% sobre abril. Milton Rego atribuiu o número positivo a um “ajuste de estoque dos distribuidores”. No acumulado do ano, o Brasil montou 34,5 mil máquinas agrícolas, registrando recuo de 13,7% ante o período janeiro-maio de 2013.

Nestes primeiros cinco meses o Brasil enviou ao exterior 5,37 mil máquinas agrícolas, queda de 7,3% em relação aos mesmos meses do ano passado. Como ocorre em outros segmentos, a retração tem como motivo a Argentina, nosso principal comprador: “Ela só está comprando o que não tem mesmo como não comprar”, diz Milton Rego.Para ver o estudo completo da Anfavea, acesse aqui.



Tags: Anfavea, máquinas agrícolas, Moderfrota, Milton Rego, CNH Industrial, produção, exportações.

Comentários

  • luiz alberto flores da silva

    A questão é: como o nosso país pode pretender crescer em vendas no mercado agricola, vendendo para a Argentina, visto que este mercado é restrito ao um número reduzido de maquinas agricolas ano ex. tratores 6.000 ano no máximo. Tenho como pensamento que os nossos horizontes devem se expandir para outros mercados, mas para que isto aconteça a lição começa a partir de atitudes do nosso Governo, tais como: parar de dar rémedio para combater a dor, e erradicar o mal, qual seja; buscar a curto prazo, soluçòes efetivas para que sejamos competivos frente a outro Paises do mundo os quais siquer tem carga tributária, o que dificulta mais ainda a nossa já combalida (competitividade), ou seja, temos que sair do discurso e ir para a ação. Para finalizar o Pais vizinho não tem consideração com os tratos firmados, veja os recentes fechamentos de fronteiras, barrando os nossos produtos.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now