Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 05/12/2014 | 18h35

GM comemora aumento da qualidade dos fornecedores

Trabalho integrado junto à cadeia de suprimentos traz bons resultados

PEDRO KUTNEY, AB

Na terceira edição feita no Brasil de seu prêmio focado na qualidade fornecedores, o Supplier Quality Excellence Award, realizado em novembro passado (leia aqui), a General Motors registrou o expressivo crescimento de 50% no número de empresas premiadas, que passou de 37 em 2013 para 55 este ano. “Esse é o resultado de um trabalho mais pró-ativo. A ideia foi sair do modo reativo e fazer auditorias preventivas diretamente nas empresas, o que já é uma rotina para nossos engenheiros de qualidade. O objetivo é fazer com que os componentes nunca cheguem com problemas de conformidade na nossa linha de produção”, explica Orlando Cicerone, diretor de engenharia de qualidade e desenvolvimento de fornecedores da GM América do Sul.

“Com esse trabalho ano a ano a qualidade dos fornecedores vem aumentando, com o cumprimento das metas”, diz Cicerone. Ele esclarece que a conformidade das empresas da cadeia de suprimentos é medida por 13 métricas diferentes, que incluem não só padrões de qualidade, mas também aspectos como pontualidade de entrega, tanto de peças para a produção como nos projetos de engenharia. Qualquer atraso tira pontos do fornecedor.

Cicerone conta que os 55 premiados este ano no Supplier Quality Excellence Award são considerados os fornecedores nota A. Eles representam 18% do universo de 300 empresas que compões a cadeia de suprimentos da GM no País. Na outra ponta, com avaliações D e E, estão cerca de 20 fornecedores e os demais estariam dentro da média B e C. “É a maioria, mas não quer dizer que essas têm problemas insolúveis. Às vezes por causa de um pequeno problema, como um atraso, a empresa perde pontos, porque as medições são rígidas, e assim deixa de figurar na lista das melhores”, explica.

PROBLEMAS DO MERCADO

Apesar do resultado positivo das medições este ano, com mais empresas incluídas entre as melhores, Cicerone reconhece que a situação de baixa do mercado também trouxe problemas de qualidade, com perda de pessoal mais experiente por causa de demissões nos fornecedores.

“Nossa intenção é sempre procurar ajudar o fornecedor da melhor forma possível, com ferramentas de contenção para detectar problemas antes mesmo que eles aconteçam”, diz o diretor de qualidade. Segundo ele, os que têm os piores resultados precisam de um trabalho mais intenso e próximo de auditoria e orientação. “Quase sempre o problema central é de gestão, de estrutura da empresa, que mistura as gestões de manufatura e qualidade em uma só função, por exemplo.”

Cicerone afirma que continua como prioridade o atual programa de nacionalização de componentes para fornecimento à GM Brasil. “Essa virou uma prioridade muito forte na empresa, especialmente para atender aos requisitos do Inovar-Auto.”

Dentro do programa de investimento no Brasil de R$ 6,5 bilhões para o período 2014-2018 anunciado recentemente pela GM, estava prevista a localização de US$ 1 bilhão em compras, dos quais US$ 700 milhões já estavam contratados até outubro, segundo confirmou Santiago Chamorro, presidente da subsidiária brasileira (leia aqui).



Tags: General Motors, GM, fornecedores, cadeia, suprimentos, qualidade.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now