Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Anfir entra no programa Mais Alimentos, do MDA

Comerciais | 18/08/2015 | 20h15

Anfir entra no programa Mais Alimentos, do MDA

Implementos leves serão financiados com juros entre 2,5% e 5,5% ao ano

REDAÇÃO AB

Um acordo firmado entre a Anfir - Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários – e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) permitirá que implementos rodoviários sejam financiados por agricultores cadastrados no Mais Alimentos, um dos programas de financiamento do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). A assinatura do convênio de cooperação, assinado na terça-feira, 18, tem duração de dois anos.

Por sua vez, a Abimaq, Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, renovou o mesmo acordo que já mantinha com o MDA também para dois anos. A assinatura ocorreu na sede na entidade, em São Paulo, com a presença de seu presidente, Carlos Pastoriza, do presidente da Anfir, Alcides Braga, da vice-presidente da Anfavea, Ana Helena de Andrade, do ministro do MDA, Patrus Ananias, e de outros representantes dos associados às entidades presentes.

Os implementos, bem como as demais máquinas e equipamentos utilizados para fim agrícola, poderão ser financiados pelos pequenos agricultores com a linha de crédito disponível pelo BNDES com juros que variam de 2,5% ao ano para compras de até R$ 10 mil; 4,5% a.a. para uma ou mais operações com valor entre R$ 10 mil e R$ 30 mil; e de 5,5% a.a. para operações acima de R$ 30 mil.

“O setor de implementos até então tinha deficiência em acessar este tipo de financiamento. É uma iniciativa que vimos conversando com o MDA desde 2013 e que agora se apresenta como um alento para a nossa indústria de pequenos produtores”, comemora Alcides Braga, presidente da Anfir.

O executivo conta que os maiores beneficiados pela medida serão os produtores de pequeno porte: “Como somos uma indústria vocacionada, que fabrica o que o cliente precisa, este novo acordo será um fator importante para este tipo de atividade, que poderá apresentar melhor seus produtos, como tanques, reboques menores, basculantes, e outros implementos leves sobre chassis, que agora terão condições facilitadas de financiamento com o objetivo de melhorar a performance da agricultura familiar”.

Segundo Pedro Estevão, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da Abimaq, dos seus 380 associados, 90% são de fabricantes de pequeno porte e que têm o Mais Alimentos como o principal destino de seus produtos. “Estimamos que 23% das vendas totais de máquinas são destinadas ao Mais Alimentos”, afirma.

“Em sete anos de Mais Alimentos, mais de meio milhão de micro e pequenos agricultores se beneficiaram tomando os financiamentos subsidiados pelo programa. 20% do faturamento agregado da agricultura vem do Mais Alimentos”, disse o ministro do MDA. Ananias acrescenta que neste ano, o governo federal destinou R$ 28,9 bilhões para a safra 2015/2016, dos quais R$ 26 bilhões para as linhas de financiamento do Pronaf, 20% a mais do que o Plano Safra anterior.

Atualmente, a agricultura familiar conta com 5,2 milhões de famílias em atividade, responsáveis por expressivos 70% da produção dos alimentos consumidos no País.

TOCANDO EM FRENTE

O presidente da Anfir afirma que os 154 associados e os 1.250 afiliados à Anfir estão presentes em mais de 20% dos municípios brasileiros. Contudo, o acordo atual com o MDA não é suficiente para reverter a queda de 50% do mercado total de implementos estimada pela entidade para este ano, especialmente puxado pelo segmento de pesados (reboques e semirreboques), que acompanha a descida sem freio do desempenho do mercado de caminhões pesados.

“Conseguimos trabalhar com saúde em um mercado de 55 mil unidades [de implementos pesados], mas devemos fechar este ano com algo em torno dos 30 mil”, revela.

Por outro lado, Braga reforçou em seu discurso durante a assinatura do acordo que “nada melhor do que uma boa crise, para aprender e reajustar as operações para atravessar essa correnteza que estamos atravessando”.

O executivo lembra que o plano de concessões em importantes áreas de infraestrutura anunciado em junho pelo governo, com investimento de R$ 198,4 bilhões em portos, aeroportos, rodovias e ferrovias, deve gerar ao longo do próximo ano um novo fôlego para a tão esperada retomada da economia. Outros fatores como um novo recorde de safra de grãos e as exportações, que passam por momento favorável devido ao fator cambial, podem afetar positivamente o setor de implementos.

“São motivos macroeconômicos que podem fazer a roda voltar a girar. Além desses elementos, será importante para o setor retomar a pauta de renovação de frota”, disse.

Para Braga, as exportações devem ocorrer de forma mais intensa a partir da parceria com a Apex, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, que acolheu o pedido da Anfir para a criação de um programa de capacitação para empresas que querem aumentar sua base de atuação. Historicamente, as exportações de implementos pesados tem representação de 10% dos negócios do setor.

“Com este momento de baixo desempenho econômico o qual estamos passando fica claro que não podemos depender somente do mercado interno. Há uma convicção de que exportar é preciso e esta é uma decisão que não retrocederá”, concluiu.



Tags: Anfir, implementos, financiamentos, Mais Alimentos, agricultura familiar, MDA, Alcides Braga.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now