Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 28/10/2015 | 12h40

Termina em janeiro prazo para eixos auxiliares sem certificação

Fabricantes e importadores precisam se enquadrar à portaria 13 do Inmetro

REDAÇÃO AB

Fabricantes e importadores de eixos veiculares auxiliares para caminhão, caminhão-trator e ônibus e eixos veiculares para reboques e semirreboques têm até janeiro de 2016 para zerar os estoques dos produtos sem certificação.

O alerta é do Instituto da Qualidade Automotiva (IQA), organismo de certificação acreditado pelo Inmetro. Esses eixos devem ser certificados conforme portaria 13 publicada em de janeiro de 2014. O comércio varejista tem até janeiro de 2017. Daí em diante, lojistas só poderão oferecer produtos certificados.

Desde junho de 2015, produtos desse tipo fabricados no País ou importados precisam apresentar o selo de qualidade. As empresas que descumprirem as regras da portaria estarão sujeitas a penas previstas na lei, como apreensão dos produtos e multa.

Há dois modelos de certificação na portaria de 2014. Um deles é voltado a quem tem produções ou importações contínuas. Envolve ensaio de tipo, avaliação e aprovação do sistema de gestão da qualidade, acompanhamento por auditorias e ensaio em amostras retiradas no comércio.

O outro modelo, voltado a importações esporádicas, requer somente ensaio de lote. A medida visa à prevenção de acidentes. Os requisitos da portaria não se aplicam aos eixos veiculares de caminhão, caminhão-trator e ônibus e aos eixos autodirecionais e direcionais.



Tags: Eixos auxiliares, eixos autodirecionais, direcionais, Inmetro, IQA, certificação, portaria 13.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now