Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias

Insumos | 10/11/2020 | 16h28

Arlanxeo já produz borracha nitrílica no Brasil

De 60% a 70% da produção irá abastecer fabricantes de autopeças como mangueiras, retentores, anéis e juntas

REDAÇÃO AB

A Arlanxeo anunciou em outubro o início da produção de borrachas nitrílicas (NBR) em sua fábrica em Duque de Caxias (RJ). Segundo a empresa especializada na produção de borrachas sintéticas, de 60% a 70% do volume produzido do insumo irá abastecer o setor automotivo nacional e internacional, especificamente fabricantes de autopeças como mangueiras, retentores, anéis e juntas que têm contato com óleos e graxas. O investimento associado à nova área produtiva não foi divulgado.


A fábrica fluminense tem capacidade para produzir até 30 mil toneladas/ano de borrachas nitrílicas, que serão comercializados sob as marcas Krynac e Perbunan. Inicialmente, segundo a Arlanxeo, o principal foco será atender a demanda por NBR dos mercados da América do Sul, mas em um segundo momento as exportações para as demais regiões também estão nos planos.

“O novo ativo no Brasil faz parte da nossa estratégia de expansão da produção de borracha nitrílica e deve fortalecer nossa posição como fornecedores globais de NBR. Nosso objetivo é atender nossos clientes ao redor do mundo”, explicou Christian Widdershoven, diretor comercial global da Arlanxeo, que recentemente também investiu na produção do insumo em sua unidade de La Wantzenau, na França.

“A produção brasileira de NBR nos permite atender clientes locais ao proporcionar a eles soluções locais, enquanto nossos clientes globais serão beneficiados em termos de flexibilidade e segurança de fornecimento”, complementa Leandro Alves, líder de projeto e gerente de vendas da Arlanxeo Brasil.

A Arlanxeo nasceu em 2016 de uma associação em partes iguais da fabricante de polímeros alemã Lanxess (uma antiga divisão da Bayer) com a Saudi Aramco, empresa petrolífera estatal da Arábia Saudita fornecedora de combustíveis e produtos petroquímicos, que em 2018 adquiriu 100% do capital e passou a ser controladora integral da empresa.

A fábrica da Arlanxeo em de Duque de Caxias tem tradição de quase 60 anos na produção brasileira de borracha sintética. É uma herança da associação e depois aquisição da Lanxess, que em 2008 adquiriu a unidade da Petroflex, uma antiga divisão da estatal Petrobras privatizada em 1992. A história do complexo remonta a 1962, quando a Petrobras inaugurou na Baixada Fluminense a primeira planta petroquímica do Brasil, então chamada Fabor (fábrica de borracha).



Tags: Arlanxeo, insumos, autopeças, borracha nitrílica, Lanxess, Saudi Aramco, Petroflex, Duque de Caxias, RJ, fábrica, indústria, química.

Comentários

  • FelipeAzevedo

    Umgrande passo para o setor, tendo a disposição no mercado local um fornecedor global.

  • LuizMarcelo Nogueira Lima

    Amatéria deixou de comentar sobre a PETROFLEX SUL uma planta com duas fábricas a unidade de ETILBENZENO e a unidade de BORRACHA SINTÉTICA - SBR

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now