Automotive Business
  
News Mobility Now

Notícias

Ver todas as notícias
Para a Ford, vendas e produção só retornarão ao nível pré-pandemia em 2023
Lyle Watters, presidente da Ford para a América do Sul

Mercado | 01/12/2020 | 21h04

Para a Ford, vendas e produção só retornarão ao nível pré-pandemia em 2023

Presidente Lyle Watters espera crescimento de 25% das vendas no Brasil em 2021

SUELI REIS, AB

As estimativas da Ford confirmam que o mercado brasileiro de veículos, assim como todo o mundo, foi fortemente afetado pela pandemia de Covid-19, e por isso indica que o País só deverá atingir os volumes de produção e vendas pré-pandemia (de 2019) daqui a três anos, em 2023. O presidente da companhia para a América do Sul, Lyle Watters, aposta em crescimento para a região a partir de 2021, mas de forma ainda lenta com muitos desafios para enfrentar. O executivo deu seu parecer sobre o cenário atual durante uma coletiva virtual de imprensa realizada na terça-feira, 1º.

“Esperamos uma indústria em torno de 2 milhões de unidades em 2020 no Brasil e de 320 mil a 340 mil veículos na Argentina. Para 2021, nossa projeção é de 2,5 milhões no Brasil e pouco mais de 400 mil na Argentina”, disse o presidente da Ford.



O volume previsto pelo executivo No Brasil para o ano que vem representa aumento de 25% sobre os 2 milhões projetados por ele em 2020. Já na Argentina, a variação positiva das vendas está entre 17% e 25%, previsão alinhada com a Adefa, associação das fabricantes locais.

“Este ano de 2020 é atípico, há um ano ninguém esperava por isso, nem mesmo o setor automotivo brasileiro, que é tão acostumado com altos e baixos”, comentou.

Watters confirma que logo no início da pandemia a Ford também foi forçada a focar na situação financeira, saúde do caixa e sua liquidez, assuntos que assim como a saúde dos funcionários estavam no topo da lista dos comitês de crise de toda a indústria. Segundo ele, a situação foi agravada com a questão de disponibilidade e alto custo do crédito, uma vez que o spread dos bancos continua em níveis muito altos no Brasil.

“Temos a expectativa de que a atividade econômica na América do Sul se recupere gradualmente em 2021, mas os níveis de 2019 de produção e vendas só devem ser retomados em 2023. Continuaremos a enfrentar um ambiente difícil nos próximos anos no setor automotivo.”

O executivo ponderou sobre outras dificuldades ao longo de 2020 e reforçou que neste ano a desvalorização das moedas locais aumentou a pressão dos custos indicando que o real teve 40% de desvalorização, enquanto o peso argentino registrou queda de 30% ante o dólar. Segundo ele, a utilização da capacidade produtiva atual da indústria automotiva está em 40%.

PARTICIPAÇÃO DE MERCADO EM QUEDA


Sobre as perdas de participação no mercado brasileiro, o presidente da Ford diz não estar preocupado com a descida da marca no ranking de vendas – a empresa caiu da quarta para a sexta posição em dois anos. O executivo relembra que a fatia atual da Ford nas vendas do Brasil é resultado da decisão da empresa em ser mais seletiva com relação a grandes vendas diretas para frotas, o que para ele foi uma decisão totalmente consciente.

“O market share não é o único parâmetro empresarial no qual eu e minha equipe nos focamos. Nossa saúde financeira, principalmente em um ambiente tão crítico como o que estamos vivendo, faz com que exista muita pressão e eu repito: a moeda enfraquecida, os efeitos da pandemia, a baixa utilização da capacidade, o alto custo do crédito, tudo isso significa que precisamos estar saudáveis como empresa e se isso significa abrir mão de um tanto de market share, que não é lucrativo, para corrigir e adequar o tamanho da nossa estrutura, para mim isso significa bons negócios financeiramente sustentáveis”, defendeu Lyle Watters.

Ele ponderou ainda que no longo prazo volume é importante, mas é apenas um dos fatores: “É um dos ingredientes na tomada de decisão”.



Tags: Ford, Lyle Watters, mercado, vendas, pandemia, crise, dólar, indústria, liquidez, vendas online, vendas diretas, participação de mercado, Argentina.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

Mobility Now